Bahia cogitou cobrir oferta para manter Thaciano, mas salário foi entrave

Meia emprestado pelo Grêmio recebeu uma proposta do futebol turco

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

O meia Thaciano já se despediu do Esporte Clube Bahia e está a caminho do futebol turco. Emprestado pelo Grêmio até dezembro, o jogador recebeu uma oferta, que poderia igualada pelo Esquadrão, algo que foi até cogitado, no entanto, o salário foi um entrave e fez o Bahia desistir de tentar manter o atleta de 26 anos. Na Turquia, ele receberá de vencimentos mais do que o dobro do que recebe hoje, fora da realidade do clube baiano, o que dificultou um acerto. A revelação foi feita pelo vice-presidente Vitor Ferraz, em uma live no canal Dois a Um.

 

“Fomos informados pelo Grêmio sobre essa proposta, tendo esse conhecimento das condições, conversamos com o Grêmio e informamos que o Bahia tinha a intenção de igualar a proposta. Isso é factível dentro da nossa realidade. O que tem de dificuldade nesse processo? A dificuldade é que a proposta feita ao atleta é muito difícil do Bahia cobrir, fora da nossa realidade. Ele vai ganhar mais do que o dobro do que recebe hoje. Então, embora a gente tenha condição e tenha manifestado o interesse de cobrir a proposta de transferência, que é o que o Grêmio receberia, há um dificultador muito grande em relação a essa questão salarial e a manifestação do próprio interesse do atleta no sentido de realizar o contrato, ir para a Europa”.

“Na condição de atleta emprestado, como foi um empréstimo não oneroso, o Bahia não pagou nada para ter Thaciano por empréstimo, é um procedimento comum. Gerou alguns comentários, alguns questionamentos, como perder jogador durante a temporada. Isso é absolutamente trivial. Quando se pega um atleta emprestado de um clube, se não está pagando, há uma vulnerabilidade nesse sentido”.

Ferraz deu como exemplo o empréstimo de Ignácio à Chapecoense. “Quando emprestamos atletas, fazemos a mesma exigência. Por exemplo, Ignácio está emprestado à Chapecoense, e caso a gente receba alguma proposta, e seja do interesse do atleta, podemos nos valer dessa prerrogativa e solicitar que a Chapecoense nos devolva o atleta. Isso é absolutamente comum quando a gente tem contrato dessa natureza”.

Autor(a)

Fellipe Costa

Administrador e colunista do site Futebol Bahiano. Contato: futebolbahiano2007@gmail.com

Deixe seu comentário