Santa Cruz e Jacuipense fazem o duelo dos piores do Grupo A da Série C

O Santa Cruz evita procurar um culpado pelos tropeços nas três primeiras rodadas

O Campeonato Brasileiro da Série C terá sequência nesta sexta feira, terá continuidade no sábado e Domingo e somente será encerrada na segunda-feira com o duelo entre Santa Cruz e Jacuipense que se enfrentam às 20h no Estádio José do Rego Maciel em Recife numa partida envolvendo dois os piores clubes do Grupo A da competição, ambos contabilizando um ponto e sem qualquer triunfo. O Santa Cruz perdeu para o Ferroviário e Manaus e marcou seu único ponto empatando com o Floresta. O Santinha ainda não marcou gols na competição. Já a Jacuipense, faz uma campanha idêntica. Perdeu para Floresta-CE e Paysandu fora e dentro de casa e empatou com o Tombense no Estádio Adauto Morais. Nos três jogos o time baiano marcou o único gol.

 

O Santa Cruz evita procurar um culpado pelos tropeços nas três primeiras rodadas da competição nacional. Fato é que Bolívar e sua comissão foram desligados do clube e Roberto Fernandes foi contratado para o seu lugar. Para o auxiliar interino da casa, Roberto de Jesus, o tricolor não procura apontar culpados e busca reverter a situação o quanto antes.

“O momento não é de procurar um culpado ou um bode expiatório, a fase do Santa Cruz é complicada, porém só dá para sair se for todos juntos. Se procurarmos falhas individuais em um jogo coletivo fica muito difícil”, disse.

Com um retrospecto ruim e a vice-lanterna do Grupo A, vencer o time baiano pode ser a retomada coral na busca pelo acesso à Série B visto que o adversário vive uma fase parecida que o tricolor.

“Eu tenho certeza e plena confiança que são esses jogadores que tirarão o Santa Cruz desta situação. Temos que continuar acreditando, tento os pés no chão que o momento não é o melhor, no entanto, temos a oportunidade de transformá-lo em uma certeza, em alegria e em positividade na próxima partida”, destacou em entrevista ao site oficial do Santinha.

BICHO

Pensando trazer um gás novo ao clube o ex-presidente e colaborador da atual gestão do Santa Cruz, Alexandre Mirinda declarou ser a favor de premiações por vitórias no Time do Povo.

“Isso está sendo discutido não pelo valor, mas por ser uma cultura do futebol brasileiro não importando a quantia. Que seja um valor que o jogador possa sair após uma vitória para tomar sua cervejinha sem precisar fazer isso escondido, desde que seja um profissional que conhece sua limitação e que cumpra com as suas obrigações dentro de campo com responsabilidade”, declarou.

A premiação em questão é conhecida no futebol como “bicho”. Sempre após uma vitória, os clubes de futebol garantem um valor em dinheiro para os jogadores após a conquista de um resultado positivo. O assunto é discutido internamente e não está descartada a prática do uso pela atual gestão do Santa Cruz. De acordo com Mirinda, Givanildo Oliveira é quem conduz o processo.

“O bicho molhado é uma cultura que existe e estamos avaliando, quando eu digo nós, estou dando minha opinião e Givanildo Oliveira vai decidir, passar para o presidente e o financeiro do clube. Se entendermos que está faltando uma motivação extra e se ela for esse bicho molhado que não é coisa de outro mundo, é para manter o clima de premiação após uma vitória”, completou.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*