Técnico do Vitória lamenta desfalques em jogos decisivos do Baianão

"Complicado. Você não consegue repetir a equipe", disse.

Foto: Enaldo Pinto / Insta: @enaldo_santos_pinto

O Esporte Clube Vitória chegou na reta final do Campeonato Baiano precisando emplacar uma sequência de três triunfos para garantir a classificação às semifinais. No meio da semana, venceu o Vitória da Conquista por 2 a 0 e encostou no G-4. Neste domingo, saiu na frente cedo e estava entrando na zona de classificação, porém, perdeu o atacante Samuel expulso e acabou levando a virada do Jacuipense por 2 a 1 no Estádio Manoel Barradas, se complicando de vez na competição e chegando na última rodada precisando de uma combinação de resultados para evitar a terceira eliminação seguida no Estadual. O técnico Rodrigo Chagas lamentou os desfalques por Covid-19: Ronaldo, Gabriel Bispo, Fernando Neto e David testaram positivo, e outros atletas foram isolados por precaução.

 

“Casos de covid foram ruins, muito. Porque foram inúmeros atletas que tiveram suspeita, outros que ficaram de fora. Isso não tem como não atrapalhar. Engraçado é que esse jogo foi adiado pelo fato de atletas da Jacuipense estarem de covid, um tempo atrás. Agora nos pegou neste momento, com a situação ao contrário, nós com esse processo da covid. Realmente atrapalhou bastante. Tivemos que utilizar alguns atletas que não vinham jogando, como o caso do Wesley, que a gente pensava em colocar em sequência, até porque o Vico sentiu e teve que ficar de fora. Nesta partida, tivemos praticamente oito atletas que vinham jogando como titulares, sem contar Fernando Neto, Gabriel Bispo, Guilherme Rend. São jogadores importantes para o elenco. Isso dificulta muito nosso trabalho”, disse.

“Complicado. Você não consegue repetir a equipe. Com vários casos de covid no grupo, a utilização de alguns atletas que não vinham jogando, a gente vai ter que colocar. A gente sabe que, possivelmente, esses atletas podem não conseguir jogar uma partida completa. Mas vamos buscar fazer o melhor, colocar uma equipe competitiva, para que a gente possa, neste último jogo, ter um bom resultado, independente do que venha a acontecer nos jogos dos nossos adversários.”

Comentários:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*