Atacante do Vila Nova prega cautela contra o Atlético-BA pela Copa do Brasil

“Tem que entrar ligado, rápido, pra não ser surpreendido”, disse.

O Atlético de Alagoinhas terá uma tarefa complicada nesta quarta-feira enfrentando o Vila Nova de Goiás na sua estreia na Copa do Brasil de 2021. Jogo importantíssimo para o time baiano especialmente quando observado o aspecto financeiro, já que a premiação é de R$ 675.000.00, que se obtido, dará um grande alívio para um clube de menor alcance e do interior do estado onde as dificuldades são maiores, notadamente em época de pandemia. Pelo melhor posicionamento no ranking da CBF, o Vila Nova recém promovido para Série B garante o avanço com um simples empate. Ao Atlético só resta vencer a partida por qualquer placar. O classificado terá o Juventude na sequência da competição.

 

Em entrevista à Rádio Sagres de Goiás, o atacante Anderson Barbosa considerado um dos jogadores mais importante do elenco do Vila Nova falou sobre a partida e a cautela que o time terá de ter para não ser surpreendido.

“Tem que entrar ligado, rápido, pra não ser surpreendido”, cravou Anderson Barbosa, atacante, ídolo da galera colorada, que jogou aquela Copa do Brasil de 1998, quando o Vila Nova eliminou Coritiba e Rio Branco, do Acre, chegou até as oitavas – de – final, mas foi eliminado pelo Vasco no Serra Dourada.

“Naquela época o Vasco era bem competitivo. Foi um jogo difícil, jogamos bem lá e aqui, mas infelizmente não conseguimos passar. O Vasco tinha muito mais camisa, isso fez a diferença”, lembrou Anderson sobre aquele confronto em que o Vila perdeu no Rio por 2 a 0 e empatou sem gols em Goiânia. O Tigrão era comandado pelo técnico Vanderlei Paiva e tinha na sua escalação: Enival; Moisés, Gilton, Vladimir e Willian; Fernando César, Fabinho, Sabino e Cacá; Cristhian e Anderson Barbosa.

Quanto as chances que a Copa do Brasil proporciona para times menores surpreenderem os “grandes”, Anderson concorda que é um bom caminho, bem mais tranquilo que os campeonatos por pontos corridos.

Você tem mais chance de chegar mesmo com um time mais abaixo, enquanto que nos pontos corridos, você tem que ter dois times pra chegar. É mais difícil”, ressaltou Anderson, que também lembrou da “gorda” premiação paga aos clubes na Copa do Brasil.

“No mata – mata tem que chegar 100% pra conquistar o objetivo. E agora com uma premiação muito boa, que seria bom demais pra o Vila”.

Lembrado pela galera do Vila como um exímio “matador”, fatal dentro da área, Anderson comentou as opções ofensivas do elenco colorado. São três centroavantes no elenco: Henan, Pedro Júnior e Frontini, para o ex – atacante, todos com condições de resolverem no confronto diante do Atlético, de Alagoinhas.

“Um ataque positivo, que sabe fazer gols, com Henan, Pedro Júnior e Frontini. A bola vai chegar, porque o alan consegue fazer isso. Acho que o Vila fará um bom jogo e trazer esta classificação”, finalizou.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*