Apavorado e revoltado com mais de mil mortos/dia, técnico protesta contra a CBF

Lisca fez apelo às autoridades do Brasil e reclamou dos jogos da Copa do Brasil

A terrível crise do coronavírus não dá pausa ou trégua, pelo contrário, aumenta de intensidade notadamente pela insensibilidade de parte considerável da população que faz de conta que não estamos contabilizando ALÉM DE MIL PESSOAS MORTAS/dia nos últimos sete dias, hoje, por exemplo, já aumentando a calamidade, chegamos a marca assustadora de quase 2 mil mortos no território nacional, número que põe o Brasil perto de assumir a liderança nos registros diários de óbitos em todo o mundo, só atrás dos Estados Unidos, que têm observado queda na incidência da doença nas últimas semanas, enquanto isto, o governo federal, segue destilando um descaso inacreditável com aqueles que se foram e a dor daqueles que ficaram para acender as velas e encomendar a missa do sétimo dia.

 

Enquanto isto, a vida segue com uma aparente normalidade, inclusive o futebol, no entanto, o técnico Lisca, hoje comandando o América Mineiro, talvez falando em nome de um segmento inconformado com tamanha insensibilidade, protestou de forma veemente contra a CBF por ignorar todos os acontecimento divulgou a tabela da Copa do Brasil obrigando os clubes a fazer enormes deslocamentos e como consequência pode agravar a situação, especialmente dos jogadores.

“Vou aproveitar para fazer um apelo às autoridades do Brasil, principalmente à CBF. É quase inacreditável que saiu uma tabela da Copa do Brasil hoje com oitenta clubes para o dia 10, dia 17, que vamos levar jogador com delegação de 30 jogadores de um lado para outro do país. Nosso país parou, gente. Não tem lugar nos hospitais, eu estou perdendo amigos, amigos treinadores. É hora de segurar a vida. Aqui no Mineiro tudo bem, é mais perto, mas como vão levar uma delegação do norte para o Sul. Presidente Caboclo, pelo amor de Deus, Juninho Paulista, Tite, Kéber Xavier, autoridades. Nós estamos apavorados”, disse.

Veja a revolta do treinador gaúcho:

 

 

Comentários:

1 Comentário

  1. Concordaria com Lisca se o discurso fosse outro, estamos há um ano a população de um modo geral cumprindo com os protocolos exigidos pelos governantes responsáveis com o nosso maior bem, nossa vida, nossa saúde, ficamos um ano sem poder abraçar nossos entes queridos, vimos pessoas próximas contraírem essa doença, vi pessoas perderem seus empregos, ficamos um ano sem festas, sem viver, esperando ansiosamente a tão propalada chegada das vacinas, aqui no Brasil só três por cento da população foram vacinadas, porque o líder maior da nação é contra a ciência, é contra as pesquisas, aparece a todo o momento aglomerando sem mascara, vale ressaltar, que mascara apesar de ser um item essencial para proteção das pessoas, mas, é um paliativo, `á prevenção da doença só é possível através da vacinação, a erradicação só é possível através da vacinação, assim como o mundo e o Brasil erradicou a paralisia infantil, fico imaginando se há sessenta anos atrás nosso maior governante fosse contra a vacinação dos seus filhos, das pessoas por não acreditar na ciência, hoje a história estaria registrando, que teríamos uma legião de deficientes físicos, porque um deficiente mental que comandava a população era contra a ciência, as pesquisas, acho que o futebol sem público com todo protocolo de segurança que são tomados, é uma maneira do seu torcedor ficar em casa acompanhando seu clube do coração, penso que a população tem de cobrar que o líder maior da população não feito eleito e nunca será para fazer a sua vontade e de sua família, ele foi eleito para fazer a vontade da população Brasileira, Vacina já.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*