Torcidas deveriam se unir por um Futebol Nordestino mais forte!

"os times de cá vivem sendo alvo de toda sorte de discriminação e preconceito"

Foto: Blog do Cassio Zirpoli

Há anos eu defendo aqui e pessoalmente a união dos clubes do Nordeste, isso veio com a Liga do Nordeste. Mas é necessário que as torcidas também se unam. Não é para um rival vestir a camisa do outro, mas para defender o co-irmão em casos de ataques vindos do resto do país. Especialmente na Série A, os times de cá vivem sendo alvo de toda sorte de discriminação e preconceito por parte da mídia sudestina, e de arbitragens desastrosas que invariavelmente usam dois pesos e duas medidas quando encaramos os queridinhos do eixo.

 

Não precisa ir ao estádio (se bem que seria incrível ver 10-20 bandeiras de times da região numa final NE – resto do BR ou NE – América do Sul), nem comprar produto licenciado do rival, mas sim manifestar repúdio diante dos ataques, do preconceito, dos erros de arbitragem.

Óbvio que existem rivalidades regionais que são quase inconciliáveis, especialmente entre torcedores de BA-PE, pelas décadas de disputas entre os estados e ofensas trocadas de lado a lado mas, tal qual uma família, temos que nos defender contra os de fora. Entre nós, a gente se entende.

O eixo tem ao seu lado o mercado publicitário, a força econômica das principais capitais do país, a principal rede de TV e mesmo as menores que ela, os maiores patrocinadores e alguns dos elencos mais caros e qualificados do país. O que nos resta?

Temos torcidas regionais mais fiéis e ativas. Tanto na vida real, quanto na virtual. Temos uma imprensa local que se esforça para fazer um trabalho de qualidade (ainda que o torcedor do time X acuse-a de ser toda torcedora do Y), a internet tem ajudado muito a manter o torcedor.

Quem mora longe a se manter informado e mais próximo do seu clube, muitas vezes sem a necessidade de consumir material das TVs e portais sudestinos, que não consegue apontar Maceió no mapa do Brasil. Para isso, é importante demais que consumamos essa mídia alternativa.

O problema é que o processo eleitoral da maioria ainda é provinciano. Compadre elege Compadre e mesmo onde há voto direto, há o risco de eleger os caciques de sempre.

Vladimir Bahia, colaborador do Futebol Bahiano.

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*