Em situação semelhante ao Vitória, Cruzeiro precisa de 13 triunfos para obter o acesso

Cruzeiro é o primeiro clube fora da zona de rebaixamento da Série B

O Cruzeiro naturalmente era apontado por todos, como clube de ACESSO FÁCIL e RÁPIDO, para o Brasileiro da Série A do próximo ano, após cair em 2019 de forma inédita. Até então, apenas o Cruzeiro, maior campeão da Copa do Brasil e Tricampeão Brasileiro junto com São Paulo, Flamengo e Santos, não havia descido para divisão intermediaria. O time começou a competição também de forma inédita com seis pontos negativos em decorrência de punição imposta pela FIFA relacionados a débitos do clube no passado, no entanto, a punição parecia não atrapalhar a caminhada de retorno do time celeste para Série A.

 

Nos três primeiro jogos, somou 9 pontos, o que significou, remover o déficit, no entanto, a partir de quarta rodada acumulou uma sequência de insucessos. Trocou Enderson Moreira por Ney Franco, e depois Ney pelo afamado técnico Luís Felipe Scolari para buscar uma campanha do segundo turno de recuperação, contudo, a tarefa do clube assim como o Esporte Clube Vitória, é árdua de acordo os cálculos do Departamento de Matemática da UFMG, o mesmo se aplica ao Vitória já no segundo ano da Série B. O clube baiano também está no seu terceiro técnico na temporada. Iniciou o ano bem com Geninho, mas demitiu por conta da crise financeira, efetivou Bruno Pivetti, mas não resistiu aos resultados ruins e foi substituído por Eduardo Barroca que em cinco jogos, com três empates e duas derrotas.

O Vitória com 21 pontos é 14º  colocado, enquanto o Cruzeiro é o 16º colocado da Série B, com 20. Segundo as contas dos matemáticos, o Cruzeiro precisa de aproveitamento de 75,43% no returno para conquistar o acesso à primeira divisão e pouco difere do rubro-negro baiano. O índice corresponde a 43 pontos em 57 possíveis – algo como 13 vitórias, quatro empates e duas derrotas em 19 jogos. Com essa campanha, o Cruzeiro chegaria a 63 pontos e, conforme o cenário atual, teria 98,4% de probabilidade de acesso.

O Juventude, quarto colocado da Série B, somou 31 pontos em 19 rodadas – 54,38%. No entanto, o Sampaio Corrêa, que aparece em oitavo, com 27, pode superar essa marca, pois tem duas partidas a cumprir contra Brasil de Pelotas (fora) e Náutico (casa).

Apesar da sequência invicta de cinco rodadas (duas vitórias e três empates), o Cruzeiro continua com possibilidade irrisória de acesso: 1,7%. Em contrapartida, o risco de rebaixamento caiu para 28,4%, segundo a UFMG.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*