Mesmo com um a mais, Bahia não consegue vencer o Atlético no 1º jogo da final

Bahia e Atlético voltam a se enfrentar sábado, às 16h30, em Pituaçu

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

Muda o time, mas as dificuldades são as mesmas. Mesmo atuando com um jogador a mais desde os 34 minutos do primeiro tempo devido a expulsão do volante Makelele, o Esporte Clube Bahia não conseguiu furar o bloqueio armado pelo técnico Agnaldo Liz e ficou no empate amargo por 0 a 0 com o Atlético de Alagoinhas na noite desta quarta-feira (05), no Estádio Metropolitano de Pituaçu, pela partida de ida da final do Campeonato Baiano, um dia após a perda do título da Copa do Nordeste. Os times voltam a se enfrentar no sábado (08), às 16h30, novamente em Pituaçu, quando será conhecido o Campeonato Baiano de 2020. O Esquadrão busca o 49º título e o tricampeonato seguido, enquanto o Carcará tenta levantar sua primeira taça. Quem vencer, é campeão, e um novo empate (por qualquer placar) leva a decisão para os pênaltis.

 

Atlético e Bahia fizeram um primeiro tempo movimentado, porém, de poucas emoções. O Carcará chegou perto de abrir o placar, mas Tobinha perdeu um gol incrível aos 3 minutos de bola rolando. O time tricolor teve mais posse de bola, no entanto, improdutivo e apático, não conseguiu agredir o adversário. A melhor chance saiu do pé de Marco Antônio que mandou para fora com o gol aberto, porém, o lance não seria validado pelo impedimento de Saldanha. Fora isso, nada de proveitoso. A equipe de Alagoinhas ainda perdeu o volante Makelele aos 34 minutos do primeiro tempo, expulso com o vermelho direto após derrubar Saldanha em condições claras de gol. No segundo tempo, o time de Roger Machado pressionou, mas não teve competência para marcar o gol, tampouco para ameaçar o goleiro Fabio Lima. Parecia até que era o Esquadrão quem estava jogando com menos um. Enquanto isso, o Carcará mesmo em inferioridade numérica, criou boas chances e merecia até sair vitorioso.

Além de Estadual, o Bahia tem ainda mais duas competições para disputar no ano. A Copa Sul-Americana, na qual se encontra na segunda fase, após eliminar o Nacional-PAR vencendo os dois jogos (3 x 0 e 3 x 1), e o Campeonato Brasileiro, que começa no próximo sábado, porém, o jogo contra o Botafogo foi adiado, desta forma, a estreia tricolor no Brasileirão será no dia 12, contra o Coritiba, às 20h30, em Salvador, pela segunda rodada. O Atlético de Alagoinhas, por sua vez, aparece no Grupo 6 da Série D, ao lado de Bahia de Feira, Caldense, Gama, Palmas, Patrocinense e Tupynambás. A estreia será no dia 19 de setembro, contra o Gama, dentro de casa.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO DE ALAGOINHAS X BAHIA

Competição: Campeonato Baiano – Final, jogo de ida
Local: Estádio Roberto Santos (Pituaçu)
Data: 05 de agosto de 2020
Horário: 21h30
Arbitragem: Diego Pombo Lopez, auxiliado por Paulo de Tarso Bregalda Gussen e Marcos Welb Rocha de Amorim (trio da BA)
VAR: Paulo Ramon Gonçalves Pinheiro (RN)

ATLÉTICO: Fábio Lima; Paulinho, Mailson, Eudardo e Felipinho; Makelele, Dedeco, Tobinha e Edilson; Russo e Magno Alves. Técnico: Agnaldo Liz.

BAHIA: Mateus Claus, Nino Paraíba, Ernando, Wanderson e Zeca; Ronaldo, Elton, Jádson e Daniel; Marco Antônio e Saldanha. Técnico: Roger Machado.

Deixe seu comentário

1 Comentário

  1. Belintane, pelo amor de Deus, tira esse miserável desse projeto de técnico, o que mais precisamos perder, o Baiano? Cair para série B ?? Até o do aspirante que foi embora é melhor que esse ameba.

1 Trackback / Pingback

  1. Marco Antônio diz que Bahia soube se impor, mas foi infeliz contra o Atlético-BA

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*