Meia com passagem apagada pelo Bahia reforça o América-MG na Série B

Guilherme defendeu o Bahia no primeiro semestre de 2019

Foto: Divulgação/América-MG

O América-MG anunciou mais um reforço para a sequência da temporada. Trata-se do meia-atacante Guilherme, de 31 anos, que teve passagens de destaque por Cruzeiro e Atlético-MG, porém, decepcionou vestindo a camisa do Esporte Clube Bahia e do Fluminense na temporada passada. O jogador, que teve seu vínculo encerrado com o Corinthians no fim do ano passado e fazia treinos individuais para manter a forma física, assinou com o time mineiro até fevereiro de 2021, quando se encerra a atual edição da Série B. Guilherme ainda precisa ser regularizado no BID, da CBF, para ficar à disposição do time, que enfrenta a Ferroviária-SP, na terça-feira, às 19h, no Independência, decidindo vaga na próxima fase da Copa do Brasil.

 

Guilherme chega para ser mais uma opção ofensiva no time de Lisca e ajudar na armação. O novo contratado terá a concorrência de Matheusinho, revelado na base americana, e de Marcelo Toscano, autor do gol que garantiu a vitória do América-MG contra o Oeste, na última rodada da segunda divisão.

Guilherme chegou ao Bahia no início de 2019 por empréstimo até o final do ano com os salários pagos pelo Corinthians como forma de quitar a dívida pela compra do lateral-esquerdo Juninho Capixaba. O meia atuou em 11 partidas com a camisa tricolor (7 como titular e 4 saindo do banco, 607 minutos) e marcou apenas um gol diante da Juazeirense. No entanto, desde sua chegada, foi alvo de críticas que foram aumentando cada vez que atuava de forma apagada, e piorou após a polêmica com a torcida, quando foi o jogador foi vaiado e retrucou, sendo barrado de um jogo e depois afastado até acertar sua saída sendo repassado ao Fluminense, onde também não vingou.

Além de Bahia e Fluminense, Guilherme acumula passagens por Atlético-MG, Athletico-PR e Corinthians no Brasil, e CSKA (Rússia), Dynamo Kyev (Ucrânia) e Antalyasapor (Turquia) no exterior, conquistando títulos expressivos na carreira, como a Libertadores (2013), a Recopa Sul-Americana (2014), a Copa do Brasil (2014), o campeonato Ucraniano (2008/09), a Supercopa da Ucrânia (2009/10) e, mais recentemente, a Copa Sul-Americana (2018).

Comentários:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*