Dirigente do Bahia no título nacional de 1959 morre vítima da Covid

Através das redes sociais, o Bahia lamentou a morte do ex-dirigente

Faleceu na madrugada deste domingo (30) uma das figuras mais importantes na conquista do primeiro título brasileiro do Esporte Clube Bahia. Benedito Borges de Mello, dirigente do clube em 1959 e responsável pela montagem do elenco campeão brasileiro da Taça Brasil, morreu vítima da Covid-19, aos 96 anos. Ele faria 97 anos no dia 13 de setembro. Natural de Ribeira do Pombal, no agreste baiano, Benedito era dono de uma locadora de carros de luxo em Salvador e chegou a utilizar os carros da empresa dele para pagar luvas e bichos aos jogadores. Em 2018, recebeu a Comenda Valdemar Costa entregue pelo Conselho Deliberativo do Bahia.

 

Segundo familiares, o sepultamento de Benedito Borges Mello está marcado para as 11h deste domingo no cemitério Jardim da Saudade, em Brotas. Através das redes sociais, o Esporte Clube Bahia lamentou a morte do ex-dirigente e prestou uma homenagem.

VEJA A NOTA DO BAHIA

“Homem por trás do título brasileiro de 1959, Seu Bené descansou nesta madrugada aos 97 anos. Com grande pesar, nossa homenagem:

A diretoria do Esporte Clube Bahia manifesta solidariedade aos familiares e amigos de Benedito Borges de Mello, que faleceu na madrugada deste domingo (30), na cidade de Salvador.

Um homem que dedicou a vida ao Esquadrão, ‘Seu Bené’ foi o responsável pela montagem do time campeão brasileiro de 1959, em cima do famoso Santos de Pelé. Ex-diretor e vice-presidente do Tricolor, estava internado devido ao novo coronavírus. O sepultamento sera às 11h no cemitério Jardim da Saudade.

Avô do conselheiro Ricardo Maracajá, recebeu a Comenda Waldemar Costa, maior honraria do clube, em agosto de 2018. Em janeiro deste ano, nem a distância, nem a idade avançanda, nem a cadeira de rodas impediram de estar na inauguração do CT Evaristo de Macedo.

Sobre a conquista da ‘Primeira Estrela’, Benedito sempre respondia: “Nosso time era espetacular, nunca considerei perder”.

Comerciante bem sucedido e amigo do presidente Osório Vilas Boas, funcionou como verdadeiro mecenas daquela equipe inesquecível. Dono de revendedora de carros, dava os melhores aos seu jogadores. Dono de rede hoteleira, hospedava atletas gratuitamente nas casas que possuía.

Que descanse em paz.”

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*