Com expectativa reduzida, Vitória estreia hoje na Série B enfrentando o Sampaio Correa

Este ano a situação não difere muito do ano passado

Foto: Letícia Martins / ECVitória

O Esporte Clube Vitória foi rebaixado em 2018 depois de dois anos consecutivos namorado com a Série B, e concretizando o matrimônio dois anos depois no seu quinto rebaixamento considerando a era dos pontos corridos na sua longa história de muitas glórias regionais e tradição de peso pesado quando listado entre os clubes da nossa região. Quando caiu, o Leão teve a companhia do Sport-PE, América-MG, Paraná e Paraná Clube, destes, apenas o Sport se recuperou, obtendo o acesso no ano seguinte ocupando a vice-liderança da divisão intermediaria, atrás apenas do Bragantino que este ano será acrescido no nome o energético Red Bull na sua estreia na elite do futebol nacional.

 

O Vitória fez primeira tentativa para retirar das tropas da divisão no ano passado e foi uma tragédia em boa parte da competição, inclusive com severos e sérios riscos de cair para Série C, situação que foi obra e fruto de duas administrações além de abaixo da amadora que o clube foi submetido nos últimos tempos.

Com a chegada de Paulo Carneiro e logo após com a contratação do experiente Geninho, o clube não nutriu em momento algum chance de acesso, contudo, afastou o fantasma da Série C, finalizando a competição ocupando a décima segunda posição, com 17 pontos atrás do Atlético de Goiás, o último da lista dos classificados, seis acima do primeiro que embarcou para a Série C.

Este ano a situação não difere muito do ano passado, talvez não corra riscos de queda, porém, observando o cenário atual com a luz da razão se é que ela existe no futebol as chances de acesso são reduzidas, beirando a casa do quase nada, considerando a falta de investimento no elenco.

Desamparado pela situação financeira precária, o clube pouco investiu para a estreia na Série B, exceto a contratação o meio-atacante Marcelinho, de 35 anos, que estava atuando no futebol na Bulgária dentro de uma política de responsabilidade implementada pelo presidente do clube que admite que não contratou ou pensa em contratar para não agravar a já comprometida finança do clube, especialmente neste momento quando o clube terá uma cota  pequena de TV e não tem disponível qualquer recurso oriundo de bilheteria pela realização dos jogos de portões fechados por conta do distanciamento social imposta para evitar o contágio do coronavírus.

Assim, com poucas expectativas, mas com a esperança pronta para ser reativada,  o Leão estreia hoje, à 19h,enfrentando o Sampaio Corrêa que hoje em dia transformou-se em um adversário de equivalência não pelo crescimento do adversário do Maranhão e sim, pelo visível declínio do Esporte Clube Vitória que se nivelou por baixo.

1ª RODADA DO BRASILEIRO DA SÉRIE B

SEXTA-FEIRA, 07/08
19h15 – Cuiabá 0 x 0 Brasil de Pelotas
21h30 – Confiança 2 x 2 Paraná

SÁBADO, 08/08
11h00 – Juventude x CRB
16h00 – Operário-PR x Figueirense
19h00 – Cruzeiro x Botafogo-SP
19h00 – Avaí x Náutico
19h00 – Vitória x Sampaio Corrêa
21h00 – CSA x Guarani
21h00 – Ponte Preta x América-MG

DOMINGO, 09/08
11h00 – Oeste x Chapecoense

 

 

 

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*