Atlético-BA reforça o ataque e contará com um trio de goleadores

Carcará manteve Magno Alves e contratou os atacantes Robert e Marcelo Nicácio

Mesmo com todas dificuldades financeiras, agravadas pela pandemia do coronavírus que paralisou completamente o futebol em março, o Atlético de Alagoinhas foi ao mercado em busca de peças remontar o elenco e montar um time competitivo visando o retorno do Campeonato Baiano (no dia 22 de julho) e o início da Série D do Brasileirão (no dia 20 de setembro). Um setor bastante reforçado pelo Carcará foi o ataque, com as chegadas dos atacantes Robert e Marcelo Nicácio. O primeiro é o segundo maior artilheiro da história do clube, enquanto o segundo é o artilheiro do Campeonato Baiano de 2020 com com 8 gols marcados em sete jogos disputados. Nicácio vinha sendo o principal destaque do Fluminense de Feira, mas acabou deixando o Touro após a desmontagem do elenco em virtude da paralisação. Os dois se juntam ao veterano Magno Alves, que também tem o faro apurado para balançar as redes adversárias.

 

Magnata acumula passagens por vários clubes do exterior, como Jeonbuk Motors (Coreia), Oita Trinita (Japão), Gamba Osaka (Japão), Al Ittihad FC (Arábia Saudita), Umm-Salal (Catar). No Brasil, defendeu Criciúma, Atlético-MG, Sport-PE, entre outros, mas se consagrou mesmo com as camisas de Fluminense e Ceará. Em 2018, atuou por três clubes: Grêmio Novorizontino, Atlético Tubarão e Floresta-CE. Esse ano, também defendeu o Floresta-CE.

Natural de Salvador, Marcelo da Paixão Ramos Nicácio tem um vasto currículo. Começou no Bahia, onde jogou até meados de 2004, sendo artilheiro da Taça Estado da Bahia de 2003 com 10 gols. Foi emprestado ao Xanthi da Grécia e na sequência ao Votoraty. Em 2007, foi vendido ao Atlético Mineiro, porém, sem muita oportunidade, foi emprestado pelo Galo à CRB, América-RN, Fortaleza e Figueirense. Nicácio também defendeu o Vitória entre 2012 e 2013, marcando 6 gols em 18 jogos. Ele acumula passagens ainda por Litex Lovech, da Bulgária, Ceará, Paysandu, Al-Faisaly FC, da Arábia, Boa Esporte, Boavista-RJ, CSA, Icasa, Caucaia, Uniclinic, Manaus FC, Santa Helena, além de Sousa e Jacuipense onde atuou na temporada 2019.

Pelo Vitória, foi campeão do Campeonato Baiano de 2013 e artilheiro da Copa do Nordeste de 2013 com 5 gols. Conquistou ainda o Campeonato Cearense pelo Fortaleza em 2009 e pelo Ceará em 2011. Em 2003, disputou os Jogos Pan-Americanos pela Seleção Brasileira.

Robert, de 35 anos, acumula passagens por vários clubes do futebol baiano, casos de Vitória onde jogou em 2009, além de Vitória da Conquista, Atlético de Alagoinhas, Colo Colo, Bahia de Feira, Jacuipense, Catuense, Itabuna e Juazeirense. Em 2019, ele disputou o Capixaba pelo Real Noroeste, antes de se transferir para o Rio Branco-ES, onde foi artilheiro da Copa Espírito Santo. Jogou ainda por América-SP, Mogi Mirim, Sagrada Esperança de Angola, Campinense, Sergipe, Olaria, Tiradentes-CE, Teixeira de Freitas, Real Noroeste e Rio Branco-ES. Robert é o segundo maior artilheiro da história do Carcará e esse ano foi contratado pelo Doce Mel para o Baianão, mas não chegou a entrar em campo.

O Atlético de Alagoinhas tem pela frente na temporada a sequência do Campeonato Baiano e a disputa da Série D do Campeonato Brasileiro. No estadual, o Carcará ainda tem dois jogos pela primeira ase, um contra o Bahia e outro diante do Jacuipense.

A estreia do Carcará na Série D será contra o Gama, no Estádio Antônio Carneiro, com data ainda a definir. O Atlético-BA está no Grupo A6, ao lado de Bahia de Feira, Gama-DF, Patrocinense-MG, Tupynambás-MG, Caldense-MG, Palmas-TO e o vencedor do confronto entre Brasiliense-DF e Tocantinópolis-TO.

 

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*