Fluminense de Feira foi campeão baiano contra tudo e contra todos

Em 1954, todo o time do Fluminense foi preso

Com o recesso do futebol em decorrência da maior crise sanitária que abalou o mundo inteiro, inclusive caminhando para superar a marca de 20 mil brasileiros mortos alguns clubes do futebol baiano fecharam as portas no departamento de comunicação (quando tal departamento existe). O Fluminense de Feira é uma das raras exceções. Aproveitando-se da parada, o clube vem recuperando episódio relatados do “Fluminense 50 anos” escrito por Carlos Brito e Carlos Mello e assim vem mantendo o clube em evidencia.

 

O Fluminense já foi preso. Durante sua trajetória no futebol o Fluminense já sofreu muito com os árbitros baianos. Logo quando o Fluminense se profissionalizou os times da capital não aceitavam que um time do interior fizesse frente aos clubes de Salvador, em especial Bahia e Vitória que não admitiam concorrência do time “tabaréu”.

Para chegar aos títulos de 63 e 69 o Touro fez “das tripas coração” contra tudo e contra todos. Quem lembra o episódio da final do Baiano de 1990 que a diretoria do Vitória colocou o árbitro da partida contra a parede e mudou uma decisão de encerramento do jogo que já havia sido dada? O juiz decidiu que não haveria mais jogo, para, depois de mais de uma hora de paralisação, voltar atrás e dizer que o jogo iria prosseguir, dando o título ao Vitória.

Mas em 1954 o Fluminense foi preso, pasmem. O time jogava contra o Ipiranga, que era o segundo time com mais títulos de campeão baiano na época, na Fonte Nova e estava perdendo por 2 a 0, quando nosso ponta Elias passou pela zaga adversária e fez um gol legítimo. O árbitro deu o gol e correu para o centro do campo, porém o auxiliar marcou impedimento. Os dois confabularam e o gol foi anulado. Ariston Carvalho, diretor técnico do Flu de Feira na época, mandou os jogadores sentarem no campo. Todos sentaram. O Juiz mandou a bola rolar e o Ipiranga, com o gol aberto fez o terceiro gol. Foi ai que o árbitro mandou a polícia prender todos os jogadores do Fluminense. Prontamente a polícia militar atendeu a solicitação da autoridade da partida e recolheu todo o time, que depois de prestar esclarecimentos foi liberado para retornar a Feira de Santana.

Deixe seu comentário

1 Comentário

  1. Rapaz esse clube ja nasceu errado, no futebol ñ deveria haver genérico, o Fluminense que é respeitado é o original do RJ, mudem esse nome sejam originais.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*