Apesar da crise do coronavírus, VAR deve ser mantido no futebol brasileiro

IFAB tratou como opcional o uso da tecnologia

Apesar das dificuldades financeiras por conta da crise causada pela pandemia do novo coronavírus, o árbitro de vídeo deve ser mantido no futebol brasileiro. Aprovado em Conselho Técnico da Série A do Brasileiro e também utilizado nas fases finais da Copa do Brasil, a princípio a intenção da CBF é manter o VAR. Na mesma edição em que tratou da mudança da regra de jogo, a IFAB tratou como opcional o uso da tecnologia. O uso do árbitro de vídeo, que foi aprovado pela primeira vez na edição de 2019, passou novamente pelo crivo dos clubes no Conselho Técnico da Série A, realizado no fim de fevereiro deste ano.

 

“Este ano vamos dar um passo a mais. Vamos colocar um VAR centralizado em algumas partidas, na medida que a gente consiga implantar a tecnologia da fibra ótica nos estádios, para, possivelmente, em 2021, a gente conseguir fazer o VAR centralizado em todas as partidas do Brasileiro. Então foi mais uma medida aprovada”, dizia o presidente da CBF, Rogério Caboclo, na reunião de 27 de fevereiro.

Há um desafio nesta logística para colocar árbitros e auxiliares numa sala para trabalhar na revisão dos lances da partida. Pelas circunstâncias de isolamento e afastamento entre as pessoas, um protocolo de uso do VAR deve ser necessário. Mas, por enquanto, a intenção da CBF é realizar o Brasileiro de 2020 com o VAR, além das partidas finais da Copa do Brasil.

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*