Rodriguinho diz que não sabia da situação do Cruzeiro e analisa início no Bahia

Rodriguinho foi pego de surpresa com situação do Cruzeiro

Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / EC Bahia

Contratado no início do ano por aproximadamente R$ 22 milhões junto ao Pyramids, do Egito, o meia Rodriguinho chegou ao Cruzeiro para ser o maestro do time e com um dos salários mais elevados do elenco. No entanto, em pouco mais de um ano na Raposa, fez apenas 22 jogos e marcou 8 gols, já que passou um período se recuperando de lesão. No segundo semestre de 2019, porém, o clube mineiro mergulhou em uma forte crise, deixou de pagar os atletas e acabou rebaixado à Série B no Campeonato Brasileiro. Alguns jogadores acionaram o Cruzeiro na justiça, casos do volante Éderson e do atacante David. Rodriguinho, por sua vez, preferiu negociar uma saída “amigável”. Em entrevista exclusiva à Gazeta Esportiva, o camisa 10 falou que foi pego de surpresa com a crise do Cruzeiro e não imaginava a situação.

 

“Pegou (de surpresa), sim. Não tinha como imaginar. Eu tinha acabado de chegar, o que me falavam era sempre ao contrário de tudo isso, que era tudo muito certo, que pagava em dia. Eu vim com essa imagem, foi o que me passaram, inclusive jogadores que estavam dentro. Cheguei muito motivado, depois veio essa bomba, coisas que ninguém imaginava que estavam acontecendo. Isso trouxe uma maré de coisas ruins. 2019 começou de uma forma muito boa, comecei fazendo gols. Depois vieram essas lesões. Primeira lesão grave que eu tenho, foi muito complicado, nunca tinha ficado tanto tempo sem jogar, mas, felizmente, deu tudo certo. Esse ano, voltei sem sentir dores, trabalhando bem, forte.”

Rodriguinho lamentou a situação que o Cruzeiro ultrapassa e falou os primeiros jogos pelo Bahia. “Pena que algumas turbulências atrapalham. Cruzeiro com problema de acertar (as contas), no Bahia eu fiz meu segundo jogo, primeiro como titular, mas depois desse não teve mais nenhum, então, não consegui engrenar uma sequência. Eu já estava me sentindo bem, sem dores”.

Para contratar o meia de 31 anos, o Bahia superou a concorrência de clubes do futebol brasileiro e do exterior. Prevaleceu a vontade de Rodriguinho de permanecer no Brasil, por causa do nascimento de seu filho. Natural de Natal, Rodrigo Eduardo Costa Marinho tem 31 anos e surgiu nas divisões de base do ABC, onde se profissionalizou. Acumula passagens ainda por Bragantino, América-MG, Grêmio, Al Sharjah dos Emirados Árabes Unidos, Pyramids FC do Egito, mas foi no Corinthians onde teve seu melhor momento na carreira. Após primeira passagem apagada pelo Timão em 2013, retornou em 2015 sendo peça importante na conquista dos títulos do Campeonato Brasileiro de 2015 e 2017. Ficou no Parque São Jorge até 2018, quando foi negociado com o clube do Egito, mas voltou ao futebol brasileiro em 2019 contratado pelo Cruzeiro.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*