CBF contraria declaração de ministro e não tem pressa para volta do futebol

Ministro da Saúde revelou pedido da CBF para volta do futebol

Em entrevista nesta segunda-feira (27), Nelson Teich, Ministro da Saúde, revelou um pedido da Confederação Brasileira de Futebol para a vola dos jogos no futebol brasileiro com portões fechados. “Dentro de discussões que existem hoje, existe o pedido da CBF para a gente avaliar o retorno dos jogos sem público. Isso é uma coisa que a gente está avaliando. É uma coisa para ser definida ainda. Vamos avaliar. De alguma forma, (o futebol) poderia trazer uma rotina um pouco melhor para o dia-a-dia das pessoas, porque o enclausuramento e a restrição têm um impacto muito negativo no bem estar das pessoas”, disse ele.

 

No entanto, em vídeo-conferência realizada nesta segunda-feira (27), a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) informou aos clubes que não está pressionando o Governo Federal pelo “retorno em breve” das atividades. No encontro que reuniu os clubes do Brasileiro, a entidade foi representada pelo presidente Rogério Caboclo e pelo secretário-geral Walter Feldman. A afirmação dos dirigentes aos presidentes das agremiações contrariou a declaração do Ministro da Saúde e também do secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos Costa, que declarou que a volta será em pouco tempo.

A CBF garantiu aos clubes filiados que não irá colocar os interesses na frente das questões sanitárias e afirmou que seguirá as recomendações das autoridades de saúde, não dos responsáveis pelas finanças do país. Apesar da pressão de Brasília, o futebol seguirá ainda as diretrizes dos governos estaduais. Recentemente demitido, Luiz Henrique Mandetta, ex-ministro da Saúde, já havia sinalizado que praças como Rio de Janeiro e São Paulo não poderiam retornar tão cedo.

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*