“O torcedor que ergueu o Bahia não vai querer o título de ex-sócio”

Bellintani pediu a ajuda do torcedor em momento difícil

Foto: Felipe Oliveira/Divulgação/EC Bahia

A crise provocada pela pandemia do coronavírus está apenas iniciando e enquanto é cedo, os clubes seguem buscando medidas para aliviar as enormes dificuldades que terão com a perda de receitas. Vários clubes já perderam patrocínios e alguns com situação financeira pior foram obrigados a dispensarem seus jogadores e funcionários. Outros clubes tentam outras alternativas como reduzir os salários dos atletas em 25% até quando durar a paralisação, porém, a proposta não foi aceita pelos atletas. Outra preocupação com a falta de jogos é a perda de associados, que também estão sofrendo no bolso com essa crise.

 

Diante disso, o Esporte Clube Bahia trabalha de forma incansável para não perder associados. Até anunciou que será construído um monumento no CT Evaristo de Macedo para homenagear os sócios-torcedores. O monumento, chamado por “Juntos Venceremos!”, terá um grande escudo com o nome de todos os que conseguirão permanecer em dia. O Esquadrão também informou que vai oferecer um desconto dentro do limite do clube na mensalidade do plano para o sócio que precisar, além de outros benefícios. Nesta sexta-feira, em vídeo publicado nas redes sociais do clube, o presidente Guilherme Bellintani voltou a pedir a ajuda do torcedor.

“O Bahia é um clube de luta, que não se rende. Depois de 88 até 2013 a gente só viu tragédia. A gente viu um clube que foi se esfacelando, chegando no fundo do poço. Quem salvou o Bahia foi a sua torcida mesmo, a torcida decidiu que não ia desistir. De repente, uma pandemia mundial, o impacto que essa crise do coronavírus vai ter no futebol brasileiro vai ser imenso. Tenho certeza que o torcedor que viu o Bahia no fundo do poço, na Série C, que tava lá junto, colado, esse torcedor que ergueu o Bahia e trouxe de volta para Série A e hoje vê o Bahia ainda no caminho de reconstrução, esse torcedor não vai querer ter o título de ex-sócio. Ele vai querer ser sócio dizendo assim: ‘eu tô numa guerra, vou para guerra com o Bahia, eu não vou deixar o Bahia de lado. Vou fazer o meu esforço, vou lógico priorizar minha família, mas vou fazer de tudo para não abandonar o Bahia’. “, disse.

VEJA O VÍDEO COMPLETO:

Deixe seu comentário

1 Comentário

  1. ou acho que esta na hora de rever os salarios abusivos que os jogadores de futebol ganha, vamos viver a realidade atual, nao podemos no sacrificar para manter os altos ganhos desses mercenarios, eles tem que baixar os salarios, todos.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*