Geninho lamenta triunfo do Ceará sobre o Sport: “As coisas estariam tranquilas”

"O time entrou muito abaixo daquilo que pode jogar", disse

Foto: Mauro Akin Nassor / CORREIO

Atuando no Estádio Manoel Barradas, o Esporte Clube Vitória fez muito bem o dever de casa e goleou o River-PI, pelo placar de 4 a 1, pelo complemento da 7ª rodada da Copa do Nordeste. Os gols foram marcados por Thiago Carleto, Léo Ceará, Matheus Tenório e Alisson Farias. Luccas descontou para o time piauiense. Com a vitória, o Leão chegou aos 13 pontos e assumiu a vice-liderança igualando a pontuação do Confiança-SE que só se mantém em 1º pelo critério de desempate do número de triunfos. Porém, o Vitória ainda não garante a classificação matemática porque o Ceará venceu o Sport-PE por 2 a 1. Na última rodada, o time de Geninho enfrenta o Botafogo-PB, em João Pessoa, na Paraíba, de olho na liderança do Grupo B. Para isso, precisa vencer e torcer para o Confiança não vencer o Sport-PE.

 

“Eu gostaria que o Sport tivesse empatado com o Ceará, aí as coisas estariam tranquilas. Mas estamos no campeonato com boas chances. Dependemos do nosso resultado, o que é muito bom. Não depender de ninguém é muito bom. Se fizermos bom jogo, temos totais condições de bom resultado em João Pessoa. E podemos ser beneficiados com resultados paralelos. O jogo de hoje era muito importante, nos daria chance de ter classificação definida, se houvesse resultado que nos favorecesse entre Ceará e Sport, ou encaminharmos a classificação. Acho que encaminhamos bem a classificação. Das duas possibilidades, nós atingimos uma. Temos agora um pouco mais de tranquilidade”, analisou.

Apesar do jogo tranquilo e o placar elástico, o técnico Geninho não gostou nadinha da atuação do time no primeiro tempo, citando alguns erros, mas destacou a melhora no 2º tempo e valorizou o resultado.

“Nosso primeiro tempo foi muito abaixo do que eu acho que a equipe do Vitória pode produzir. Todos nós sabíamos que seria um jogo decisivo para as nossas pretensões, precisávamos de uma vitória para ter chance ou de uma classificação ou que tivéssemos chances na próxima rodada. O time entrou muito abaixo daquilo que pode jogar, num grupo de 11, tínhamos sete ou oito jogando abaixo do que normalmente jogam. Falei para eles que se tivesse que trocar um ou dois estaria fazendo uma injustiça com vários, porque o time estava abaixo. A única coisa boa que aconteceu no primeiro tempo foi o gol que fizemos e evitou que o time saísse debaixo de vaia. A torcida começou a jogar junto, aplaudir mesmo nos erros a torcida entendia e vinha junto acreditando que o time ia crescer e no primeiro tempo isso não aconteceu. Conversamos no intervalo e expus algumas coisas para eles e o time voltou com uma outra postura, uma outra maneira de jogar. Mesmo ainda apresentando um ou outro erro normal, nós fizemos um placar tranquilo. Isso demonstrava que se o time tivesse feito um jogo todo bom, esse placar poderia ser até maior. Não foi, porque nós fizemos um primeiro tempo muito abaixo daquilo que podemos jogar. O segundo tempo foi bem melhor, foi outro jogo. O importante foi o resultado, o importante foi que estamos vivos dentro da competição dependendo só das nossas forças e vamos jogar”, afirmou na entrevista coletiva.

 

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*