Paraná conta com ajuda de técnico do Bahia para tentar vencer o Bahia de Feira

Dado Cavalcanti passou informações ao técnico do Paraná

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

Enquanto alguns ainda estarão curando a ressaca do Carnaval, Paraná Clube e Bahia de Feira se enfrentam às 19h15 da quarta-feira de cinza (26), no Estádio Durival Britto e Silva, também conhecido como Vila Capanema, em jogo da 2ª fase da Copa do Brasil, que praticamente reabre o calendário do futebol brasileiro após o pequeno recesso dos festejos carnavalescos. Ambos os tricolores passaram fácil pela primeira fase. O Bahia de Feira não respeitou a vantagem do Luverdense e venceu pelo placar de 3 x 1 na Arena Cajueiro, em Feira de Santana, em um resultado de certo modo surpreendente. O mesmo aconteceu com o Paraná que venceu o Palmas pelo placar de 2 x 0, no entanto, ao contrário do Tremendão, o time paranaense atuou no Estado de Tocantins, além de ser um resultado esperado.

 

A princípio, o time paranaense é o grande favorito para avançar, porém, nada custa lembrar que quando o Paraná enfrentou times do Interior da Bahia foi eliminado (ainda na época que a decisão era com jogos de ida e volta). Foi assim com o já extinto Camaçari e depois o Esporte Clube Jacuipense. Contra o Camaçari, o jogo aconteceu no já distante ano de 1999. No primeiro jogo o time baiano venceu pelo placar de 2 x 0. Na partida de volta, o time paranaense venceu por 2 a 1, e o gol sofrido em casa causou a eliminação.

Já contra a Jacuipense o registro é do ano 2015. No primeiro jogo realizado em Riachão de Jacuípe os paranaenses venceram pelo placar de 1 x 0. No jogo de volta, agora no Paraná, o Leão Grená surpreendeu quando devolveu a derrota de 1 x 0. Levou e venceu a decisão através das cobranças das penalidades. No tempo regulamentar, Nadson revelado (2001) e com uma longa história de sucesso no Esporte Clube Vitória fez o único gol da partida. Por outro lado, quando o Paraná enfrentou Bahia e Vitória, saiu vencedor em todas as quatro oportunidades pela Copa do Brasil. Em 2017, eliminou Bahia em jogo único (vencendo por 2 a 0 no Paraná) e Vitória (vencendo por 2 a 0 e empatando sem gols na volta). Despachou o Vitória também em 2008 (perdendo por 2 a 1 em Salvador e vencendo por 1 a 0 em casa e avançando pelo critério do gol qualificado) e 1996 (vencendo por 1 a 0 em casa e empatando sem gols no Barradão).

Para o duelo, o Paraná terá um reforço extra-campo para tentar desvendar os mistérios do Bahia de Feira. Trata-se do técnico Dado Cavalcanti – que já treinou o Paraná e atualmente comanda o Bahia no Campeonato Baiano utilizando-se de uma equipe Sub-23 que inclusive já enfrentou o Bahia de Feira este ano e venceu pelo placar de 1 x 0. O treinador tricolor passou informações ao treinador do Paraná, Allan Aal. Segundo ele, seu auxiliar técnico Lúcio Flávio tem contato com Dado, e as informações serão importantes para o time paranaense superar o Bahia de Feira, vice-campeão baiano no ano passado e sétimo colocado no Estadual em andamento.

“O futebol é muito dinâmico. A gente procura tirar todo tipo de informação que possa acrescentar para os jogadores e para a partida de quarta-feira. [Buscamos informações] de todos os lados: da questão técnica, da assessoria de imprensa, da diretoria, da presidência. Esse processo está sendo legal, pois está todo mundo envolvido. Isso é fundamental para as coisas fluírem”, disse o técnico do Paraná à Rádio Banda B.

Ainda de acordo com as declarações de Aal à rádio, outro profissional que passou informações ao Paraná foi o técnico da Luverdense, José Roberto Lucini. O time do Mato Grosso foi derrotado pelos baianos na primeira fase da Copa do Brasil, por 3 a 1.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*