Atlético-GO demite Cristóvão Borges com apenas uma derrota e 66% de aproveitamento

O clube anunciou a demissão do treinador na noite desta terça

Foto: Paulo Marcos / Atlético-GO

A passagem do técnico Cristóvão Borges pelo Atlético Goianiense foi curta, porém, não por falta de resultados dentro de campo, afinal, com o treinador, a equipe obteve quatro vitórias, dois empates e uma derrota – aproveitamento de 66%, além disso, faz boa campanha no Campeonato Goiano e garantiu a classificação para a segunda fase da Copa do Brasil. No entanto, mesmo com o time rendendo, a diretoria do clube goiano anunciou a demissão do treinador na noite desta terça-feira alegando que não estava satisfeita com a evolução do trabalho no dia a dia, principalmente após os dois empates sem gols (contra CRAC e Anápolis) pelo Estadual em que o presidente do Dragão, Adson Batista, teceu críticas a apresentação do time..

 

O Atlético-GO é o vice-líder do Campeonato Goiano, com 14 pontos – dois pontos a menos que o líder Jaraguá. A próxima partida do time rubro-negro será justamente contra o Jaraguá, sábado, no Olímpico. Com Cristóvão, o time venceu por 3 a 0 o clássico contra o Goiás, disputado no dia 16 de fevereiro. Além disso, aplicou duas goleadas: 5 a 0 em cima do Goiânia e 5 a 1 em cima do Anápolis.

“O Atlético Clube Goianiense comunica que Cristóvão Borges não é mais técnico da equipe Rubro-Negra. Neste período de trabalho detectamos que a metodologia de trabalho não vai ao encontro com a filosofia do clube. Agradecemos o treinador pelo período de trabalho, onde Cristóvão Borges demonstrou ser uma grande pessoa.”, disse o clube em nota.

PASSAGEM PELO BAHIA

Cristóvão chegou ao Bahia em maio de 2013 e ficou até dezembro do mesmo ano. O treinador comandou o time baiano em 42 partidas, entre Campeonato Brasileiro e Copa Sul-Americana. No total, foram 14 triunfos, 13 empates e 15 derrotas, aproveitamento de 43,6%. No dia seguinte ao final do Campeonato Brasileiro daquele ano, o treinador se reuniu com a direção do clube e acertou sua saída. Cristóvão tinha contrato com o Esquadrão até o fim de 2014, mas alegou divergências de pensamento para não confirmar a permanência no Fazendão por mais uma temporada.

No Brasileirão de 2013, Cristóvão Borges levou o Bahia a quebrar tabus, como o de 23 anos sem vencer o Internacional em Salvador e, pela primeira vez na era dos pontos corridos, passar uma rodada no G-4 da tabela de classificação. Já na Copa Sul-Americana, outro feito: O Bahia não disputava uma partida oficial fora do país desde 1989, quando jogou a Copa Libertadores da América. Naquele ano, o Tricolor voltou a entrar em campo longe do Brasil, quando encarou o Nacional de Medellín pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana. No primeiro jogo, na Colômbia, derrota de 1 a 0. Na segunda partida, realizada na Arena Fonte Nova, o time comandado por Cristóvão Borges venceu, mas acabou eliminado nos pênaltis.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*