Diretor executivo do Bahia se reúne com outros dirigentes no Confut

Evento foi aberto com uma palestra de Marcelo Sant’Ana

Aconteceu nesta quinta-feira a primeira edição da Conferência de Futebol do Nordeste (Confut), evento com o principal objetivo de fomentar o debate acerca da profissionalização do esporte na região, suas dificuldades e as oportunidades do atual cenário. A edição de estreia contou com a participação de diversos nomes com referência nacional nos temas propostos, possibilitando a troca de experiências e a busca de soluções para o desenvolvimento do nosso futebol. O evento contou com a presença de dirigentes, empresários, gestores e jornalistas no JCPM Trade Center, no bairro do Pina. O diretor executivo Pedro Henriques representou o Esporte Clube Bahia.

 

O Confut foi aberto com uma palestra do ex-presidente do Bahia e sócio do Footway Group, Marcelo Sant’Ana. Um dos maiores representantes da guinada que o Tricolor de Aço deu nos últimos anos, com reforma estatutária e mudanças de gestão implementadas no clube de Salvador. Com um planejamento baseado na modernização do futebol, compliance (termo que significa, a grosso modo, estar de acordo com regras para crescer), transparência, equidade, prestação de contas e responsabilidade corporativa.

Logo após, uma roda de debate foi feita com as presenças de Marcelo Paz (presidente do Fortaleza), Diógenes Braga (vice-presidente de futebol do Náutico), Diogo Noronha (vice-presidente de marketing do Sport), Pedro Henriques (executivo do Bahia), Ricardo Gluck (presidente do Paysandu), e a mediação é feita pelo gestor esportivo Vinicius Lordello. A conversa foi sobre planejamento estratégico, ambiente instável, regulação estatutária, profissionalização e gestão corporativa.

Em um momento do debate, o presidente do Fortaleza indagou sobre a proposta dos clubes-empresa, que tramita no Congresso Nacional. De acordo com Marcelo Paz, o projeto é um pouco controverso, porque em nenhum momento as agremiações de futebol foram chamadas para participar da formulação desse conceito.

No segundo bloco de palestras e debates da manhã, o direcionamento foi para balanços, cotas de patrocínio, apostas esportivas, licenciamento CBF e Fair Play financeiro. Além da fala inicial do sócio de auditoria da BDO e gestor esportivo Carlos Aragaki, a conversa foi mediada pelo radialista Rafael Marques, do Rio de Janeiro. Participaram Ricardo Veloso (diretor financeiro do Sport), João Paulo Silva (diretor financeiro do Ceará), Francisco Clemente (sócio diretor e head of sports advisory da KPMG no Brasil), Marcelo Barros (sócio da Footway Group e ex-diretor financeiro do Bahia) e Lupércio Segundo (presidente de honra do Santa Cruz-RN).

 

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*