ESPORTE CLUBE BAHIA: A VIDA SEGUE E O SHOW TEM QUE CONTINUAR

Esquadrão agora foca no Campeonato Brasileiro da Série A

Em face de uma doída eliminação de quartas de finais e vendo toda a conjuntura em que estamos envolvidos em 2019 faz-se mister tecer algumas considerações. Inicialmente, em se tratando do jogo em si, ontem vi um time bem armado defensivamente, contudo abdicando de ter o comando do jogo, sem propor as jogadas e ficando sem a bola, com as linhas defensivas muito baixas, trazendo o Grêmio para dentro do campo, apostando apenas na jogada em que Arthur ou Élber pudessem puxar contra ataques para surpreender a equipe gaúcha.

 

Vi uma carência de criatividade e uma necessidade maior de jogar sem a bola do que estar com ela, sem tentar articular as jogadas ofensivas numa construção de lances, ficando exclusivamente dependente de contra golpes.

Além disso, alguns jogadores claramente sentiram a partida, não querendo associar essa derrota a um ou outro, mas foi perceptível aos olhos de todos que alguns atletas hesitaram em jogar com a intensidade necessária para uma partida desse calibre.

Não podemos deixar de falar do adversário que não é um time qualquer, é uma equipe acostumada com pressão, com partidas decisivas e a sofrer em partidas decisivas e atentas aos detalhes que definem uma partida. O time gaúcho procurou o tempo todo o jogo e o Bahia deixou o grêmio gostar do jogo e trocar muitos passes em nosso campo de jogo, correndo um risco que em muitos momentos parecia desnecessário e culminando no cirúrgico gol do Alisson, que deu o conforto que eles queriam pra jogar no contra golpe.

Destarte, com relação à atmosfera que envolveu a partida e as cobranças devidas da torcida do Bahia com a postura do time em campo se mostram corretas isso porque a possibilidade de classificar era iminente e completamente plausível no dia de ontem. Outra parte da cobrança exercida é derivada do tamanho das ambições as quais nos propomos e nos vemos inserido no contexto atual. Nossa momento atual é figurar  entre os melhores do país e enfrenta-los de igual pra igual com a plena possibilidade de derrotar as equipes de maior investimento.

Ao contrário do que ocorria em anos anteriores, onde tínhamos esperança, mas não perspectiva de disputar no topo ou ter participação expressiva em Campeonatos Nacionais ou Copas no cenário nacional de elite, pode se ver que o respeito à instituição E.C.Bahia vem se restabelecendo  pouco a pouco, ano a ano, associado por associado, torcedor por torcedor, porque o trabalho está sendo feito e é sério.

A derrota é dolorosa, mas ensina o que alguns triunfos mal conseguidos escondem na sombra do resultado, a derrota expõe as feridas e mostra o que houve de errado com mais clareza aos olhos dos mais apaixonados torcedores, ou “técnicos torcedores” que somos que querem nessa tentativa, que o acerto venha e os títulos venham juntos.

Estamos há muito tempo sem ganhar um título nacional, mas vejo que já estivemos muito mais distantes em outros tempos e que com o bom trabalho que está sendo feito uma hora seremos recompensados. Estamos ávidos por esse momento e sei que em breve ele virá. Temos uma torcida apaixonada que atende ao chamado do time em qualquer momento, sendo o maior bem e também o grande patrocinador do clube na atualidade.  Essa torcida merece sim resultados expressivos, pois o nosso lugar natural é entre os grandes e isso vem sendo cada vez mais constante, estamos nos acostumando novamente com grandes jogos ano após ano.

A vida segue e o show tem que continuar temos o brasileirão pela frente e não podemos nos deixar abater, pois temos muita coisa pela frente esse ano. Os erros servem pra crescer quando se olha com crítica correta, assim se cresce cada vez mais.  Agora o planejamento é buscar, no mínimo, a vaga pra Libertadores de América que deve ser nossa: A META, O FOCO E A OBSESSÃO.  Para isso, devemos manter a pegada dentro de casa e melhorar o desempenho fora para somar o máximo de pontos possíveis.

Nem tudo está certo, mas com certeza, temos mais acertos que erros nesses últimos 6 anos.

BBMP

Diego Campos, torcedor do Bahia, amigo e colaborador do Futebol Bahiano. 

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*