Tiago Baiano quer o Jacuipense ligado nos dois jogos contra o América-RN pela Série D

"do lado de cá tem outros grandes jogadores", destacou

Com a excelente campanha na fase de grupos terminando como líder (5 vitórias e apenas 1 derrota) e a classificação heroica na 2ª fase, quando chegou no jogo de volta precisando reverter uma desvantagem de dois gols (2 x 0 na ida) e ao iniciar a partida de volta no Eliel Martins perdendo para o Central-PE, buscou a virada por 3 a 1 e nos pênaltis carimbou o seu passaporte para as oitavas de final, o Esporte Clube Jacuipense chega entre os 16 melhores na Série D do Brasileiro ainda mais motivado e há quatro jogos do acesso à Série C. O lateral-direito Tiago Baiano, em conversa com o site Futebol Bahiano, falou sobre o triunfo sobre o Central.

 

“Tivemos um jogo muito difícil contra o Central, com uma proposta de ir para cima do adversário, mas ficamos um pouco veraneável nos contra-ataques deles, e acabamos tomando um gol no primeiro tempo. Naquele momento, ficamos um pouco abatido, mas continuamos atacando e acreditando na classificação. Graças a Deus no final do primeiro tempo o Jhuliam conseguiu empatar o jogo e fomos para o intervalo ainda mais ligados e acreditando mais ainda”, disse.

Tiago Baiano também citou o desrespeito do Central-PE que achou que estava ganho após vencer por 2 a 0 em Pernambuco. “O time adversário no primeiro jogo teve um pouco de desrespeito à nossa equipe, achando que o jogo já estava ganho, mas graças a Deus, a gente vem se fortalecendo e o grupo está unido, acreditando o tempo todo. No segundo tempo conseguimos virar o jogo, e levar para os pênaltis”, destacou.

Sobre o próximo adversário, o jogador prevê dois grandes jogos e pede o Jacuipense ligado nos 180 minutos e frisou que os jogos contra o Central serviram de aprendizagem: “Não é um time besta (o América-RN), tem grandes jogadores, mas do lado de cá tem outros grandes jogadores, guerreiros, e vamos se Deus quiser, buscar a vitória nos dois jogos, mas primeiro vamos trabalhar essa semana, fortes e focados, e não se repetir o que aconteceu lá com o Central, que tomamos dois gols. Serviu de aprendizado para quando jogarmos fora, ficarmos mais ligados. Agora o adversário é mais forte do que o Central, tem nome, o América-RN já jogou Série A e Série B”, finalizou.

Ouça a entrevista completa:

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*