Gilberto diz que pressão em Enderson é desnecessária e pede paciência

"Vamos ter mais calma. É só isso que tenho para dizer”

Foto: Felipe Oliveira / Divulgação EC Bahia

Artilheiro do Bahia e do Brasil na temporada 2019, com 12 gols em 12 jogos, o atacante Gilberto passou em branco o clássico BA-VI deste domingo que terminou empatado por 0 a 0 e frustrou a torcida tricolor que compareceu em bom número à Arena Fonte Nova e ao apito final vaiou o time e voltou a clamar pela saída do técnico Enderson Moreira. O camisa 9 tricolor lamentou as vaias da torcida, pediu paciência e disse que a pressão em cima do time e treinador é desnecessária.

“Não vencemos o clássico e agora fica uma pressão desnecessária em nós e no treinador. Vamos ter mais calma. É só isso que tenho para dizer. A torcida está impaciente porque quer que a gente vença com grande diferença. Em clássico a gente tem que ganhar. Tem que ter mais calma, vamos apoiar, ficar de nosso lado. É isso que eu tenho para dizer só”, disse.

O atacante também saiu na bronca por conta do lance em que sairia de frente com o goleiro Ronaldo e foi puxado pelo zagueiro Edcarlos que acabou expulso. Para Gilberto, os jogadores rubro-negros foram malandros.

“O cara deu porque quis em mim, eu ia fazer o gol. Eles foram ‘malandros’, fizeram a falta em mim quando poderia ser o gol do triunfo”, reclamou.



O Bahia volta à campo na quarta-feira (13) para enfrentar o Sergipe, às 19h30, na Arena Fonte Nova, pela sexta rodada da Copa do Nordeste. Depois, no domingo encara o Jequié, no Waldomiro Borges, pela última rodada do Baianão, precisando vencer e torcer contra os quatro primeiros colocados para conseguir a classificação para as semifinais. Se Vitória, Atlético de Alagoinhas OU Vitória da Conquista empatar, e o Bahia vencer, garante um lugar no G-4. No caso do Bahia de Feira, só passaria em caso de uma derrota do Tremendão.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*