Como esperado, Marcelo Chamusca não é mais treinador do Vitória

Vitória anunciou a demissão do treinador nesta segunda

O técnico Marcelo Chamusca chegou ao Vitória numa situação incomum. Enquanto, o Vitória comunicava sua contratação, o Oeste clube do interior de São Paulo, estampava no seu site oficial a contratação do mesmo técnico, inclusive publicando uma entrevista do treinador onde se dizia honrado em participar da Série A1 do Campeonato Paulista. Já no Vitória, justificou argumentando que precisou rever a posição, pós tinha uma dívida de gratidão com o Esporte Clube Vitória já que teve sua experiência como treinador nas divisões de base do Leão, portanto, era a hora de retribuir.

No entanto, a retribuição ficou apenas da retórica quando sua passagem pelo Vitória foi lastimável, no entanto, é preciso considerar que o treinador que chegou com o status do mais novo rei do acesso, porém,  encontrou um elenco sem qualidade e um quadro político completamente turbulento ainda resquício do rebaixamento para a Série B no passado e como consequência, o treinador acabou deixando o cargo demitido hoje à tarde após ser reunir com a direção do Vitória, aliás, um desligamento esperado, já que poucos técnicos resistem a uma sequência de resultados negativos como aconteceu com Chamusca no Vitória, independente do tamanho da sua responsabilidade para tal.

 

O time do técnico Marcelo Chamusca não vence há 8 partidas. São 5 empates (Bahia-FS, Ceará, Juazeirense, Bahia e Confiança) e 4 derrotas (Moto Club, Atlético-BA, Botafogo-PB e Flu de Feira). Aliás, dos 16 jogos da temporada, venceu apenas TRÊS (Vitória da Conquista, Jacobina e Jequié), empatou 9 e perdeu 4. Foi eliminado da Copa do Brasil na primeira fase, assim como no Campeonato Baiano, e na Copa do Nordeste ainda não venceu e figura fora do G-4.

Marcelo Chamusca tem 52 anos e já comandou Vitória da Conquista, Salgueiro, Atlético-GO, Guarani, Sampaio Corrêa, Salgueiro-PE, Fortaleza, Ceará e Ponte Preta. Trabalhou como auxiliar e coordenador técnico do Bahia entre os anos de 2002 a 2004, além Goiás, CRB, São Caetano.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*