Apresentado, Moisés explica porque não retornou ao Bahia em 2018

"nunca faltei com respeito com a camisa do Bahia"

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

Depois de dois anos e algumas tentativas frustradas, o lateral-esquerdo Moisés está de volta ao Esporte Clube Bahia. Nesta segunda-feira (21), o jogador de 23 anos foi apresentado oficialmente na sala de imprensa do Fazendão, pelo diretor de futebol Diego Cerri que revelou ter ficado perto de conseguir o retorno do atleta em 2018, no entanto, acabou sendo emprestado ao Botafogo onde destacou na última temporada.

“Moisés esteve conosco em 2016, teve uma passagem boa, depois voltou para o Corinthians, clube que detinha os direitos federativos, e foi emprestado para o Botafogo, no ano passado. Eu e Moisés seguimos em contato em várias oportunidades, conversamos bastante, quase que em 2018 consegui o retorno dele, por empréstimo. Esse ano conseguimos, dessa vez em definitivo. Compramos o Moisés junto ao Corinthians. Assinou conosco por três anos. Temos a certeza que ele vai ajudar e somar com esse grupo. Espero que possamos ter um ótimo ano de 2019. Que juntos possamos construir esse projeto no Bahia”, disse Cerri.

O jogador explicou o motivo de não ter voltado ao Bahia em 2018. Segundo ele, o objetivo na época era jogar mais um ano no Corinthians aproveitando a saída de Guilherme Arana. Porém, acabou atuando pouco, perdeu espaço e foi emprestado ao Botafogo.

“Em relação a 2018, ia ser uma troca. Juninho Capixaba foi para o Corinthians e eu viria para cá. Tinha mais dois, três anos de contrato na época, e meu objetivo era jogar mais um ano no Corinthians, apesar do Arana vir em um momento bom. O Arana foi vendido ao Sevilha, pensei que era minha oportunidade. Mas as coisas fugiram do modo como havia pensado. E o Botafogo apareceu, assim como apareceram outras equipes. Foi isso. Pesou o carinho que tenho pelo clube, nunca faltei com respeito com a camisa do Bahia. Nunca se ouviu falar que eu falei isso ou aquilo nas redes sociais. Meu carinho sempre grande pelo clube, assim como meu respeito”, disse.



Ele também relembrou a boa passagem em 2016:

“O que pesou foi ter jogado em 2016, minha passagem, o carinho que tenho pelo clube, o carinho que recebo dos torcedores, dos funcionários. Como Diego [Cerri] comentou agora, desde minha saída a gente sempre manteve contato. Nas férias ele me ligou, conversamos longamente, ele falou do projeto que o clube tem. Acredito que o Bahia vem crescendo bastante desde minha saída. Venho acompanhando esse crescimento, o clube tem grandes objetivos nesta temporada, e eu como jogador almejo coisas grandes também. O que pesou foi isso. O carinho que tenho pelo clube, pelo conhecimento que tenho do clube. O Bahia vem crescendo, vai crescer muito mais. Esse é um dos motivos que vim para cá esse ano”

Moisés também se colocou à disposição do técnico Enderson Moreira para o duelo contra a Juazeirense que acontece nesta quarta-feira, às 20h30, na Arena Fonte Nova, pelo Campeonato Baiano.

“Assisti ao jogo [contra o Fluminense de Feira], estou treinando com a galera, meus novos companheiros. Agora, como tem muitas competições, vamos mesclar as vezes, o Campeonato Baiano. Gostei dos meus novos companheiros, fizeram um jogo bom, criaram chances, faltaram alguns detalhes, normal, começo de temporada, perna pesada, alguns jogadores se entrosando. Vinha fazendo a pré-temporada normalmente no Corinthians. Estou à disposição do professor, se vou jogar ou não é com ele. Estou com muita sede de estrear novamente, clube que gosto, ainda mais na Fonte Nova. Estou à disposição do professor”

Ouça a entrevista:

 

O Esquadrão desembolsou R$ 1,75 milhão para adquirir 30% dos direitos econômicos do jogador. Para voltar ao Bahia, o lateral de 23 anos recusou propostas de Botafogo, Fluminense e Vasco. O Fogão, que ele defendeu em 2018, tentou um novo empréstimo do jogador. Outro interessado era o Atlético-MG que chegou a fazer uma sondagem, mas não formalizou oferta.

Moisés atuou no Bahia em 2016, quando teve uma boa temporada, jogando 36 jogos e marcando um gol pelo Esquadrão, porém, ao final do empréstimo retornou ao Timão com a expectativa de ser utilizado em 2017, mas só jogou 13 partidas. No ano passado ele vestiu a camisa do Botafogo, que tentou mantê-lo para este ano, mas não conseguiu. O clube carioca queria o empréstimo do jogador, mas o Timão preferia vendê-lo. Foram 40 jogos pelo Fogão em 2018.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*