Volante que pertence ao Bahia é desejado por Vasco, Goiás e Chapecoense

Juninho jogou por empréstimo no Ceará em 2018

Até o momento, o volante Juninho tem o futuro indefinido para 2019, ainda que tenha algumas possibilidades, uma delas permanecer no Ceará, clube pelo qual atuou em 2018 e à depender do desejo do Vozão, que basta acionar uma cláusula para renovar o empréstimo automaticamente. Se isso não ocorrer, o jogador retorna ao Bahia, dono do seu passe, e aí a diretoria tricolor terá que decidir por reincorporá-lo ao elenco e quem sabe utilizá-lo na próxima temporada se tiver o aval de Enderson Moreira, ou encontrar um novo clube para emprestar ou vender, sendo a última opção mais viável.

Com contrato válido até o final de 2019, Juninho talvez nem se apresente ao Bahia em janeiro, já que antes disso pode ser negociado, e um possível destino, caso não permaneça no Ceará, é o Vasco da Gama. Segundo o jornalista Eric Faria, do programa Seleção SporTV, o Cruzmaltino tem interesse no jogador de 32 anos, mas terá a concorrência de Goiás, que garantiu o acesso à Série A esse ano, e a Chapecoense, que conseguiu evitar o rebaixamento e se manteve na Elite.

Pelo Vozão esse ano, Juninho jogou 36 vezes (16 na Série A) e marcou 3 gols (um no Cearense, um na Copa do Brasil e um no Brasileirão). O da Série A foi o mais importante. O volante marcou um gol de pênalti no triunfo do Vozão sobre o Paraná no Castelão, por 1 x 0, válido pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro, que praticamente garantiu a permanência do time cearense na elite do futebol nacional, diga-se, uma arrancada surpreendente após a chegada do técnico Lisca.

Natural do Rio de Janeiro (RJ), Juninho foi revelado na base do Madureira, passou por América-RJ, Serrano-RJ, Duque de Caxias e só deixou o Estado em 2013 quando acertou com o América-MG. Depois retornou ao Duque de Caxias e foi vendido ao Tombense. Chegou ao Bahia após chamar atenção atuando pelo Macaé na Série B de 2015, ainda que o time carioca tenha sido rebaixado para Série B naquele ano.

Na sua primeira temporada pelo Esquadrão, Juninho se destacou e virou titular absoluto marcando 11 gols em 55 jogos na temporada 2016, tendo como principal arma o chute de longa distância e sendo peça importante na campanha do acesso do tricolor à elite do futebol nacional. Em 2017, atuou 51 vezes e anotou 5 tentos, porém, diferente de 2016, não foi titular e na maioria das vezes em que jogou saiu do banco de reservas, inclusive, chegando a reclamar da reserva. Esse ano, foi emprestado ao Ceará, entrando em campo pelo Vovô 36 vezes e anotando 3 gols.



LEIA MAIS

Deixe seu comentário