Paulo Cesar não vê pênalti e diz que expulsão de Jackson foi rigorosa

Ex-árbitro e atual comentarista analisou os lances polêmicos

Ex-árbitro do quadro da FIFA e atual comentarista de arbitragem da Rede Globo e dos canais SporTV, Paulo Cesar de Oliveira comentou no programa Troca da Passes os lances polêmicos do jogo entre Grêmio e Bahia que terminou empatado por 2 x 2 e com bastante reclamação por parte dos tricolores que tiveram um jogador expulso aos 10 minutos do segundo tempo e um pênalti assinado aos 40 minutos.

Segundo Paulo Cesar, o pênalti não existiu já que o contato de Gregore com Marinho foi natural e uma dividida de jogo. Sobre a expulsão do zagueiro Jackson que deu um carrinho de lado em Juninho Capixaba e ainda levou a pior no lance sofrendo um choque no rosto, o ex-árbitro achou bastante rigorosa. A bancada do Troca de Passes também concordou e destacaram outra atuações atrapalhadas do árbitro Rodolpho Toski Marques, da CBF.

“O primeiro amarelo foi num agarra-agarra, ele e o Kannemann, e os dois ficaram pendurados. Um árbitro mais experiente faria uma advertência verbal, controlado com uma postura mais firme. No segundo, uma jogada interpretativa. Ele (Jackson) entra com carrinho, mas com a perna estendida, mostrando cuidado na disputa. Não considerei como conduta temerária. Achei (a expulsão rigorosa), foi um pouquinho exagerado”, avaliou.

“É um lance de interpretação. A gente respeita a decisão do árbitro, estava próximo da jogada. Chama atenção que no primeiro momento ele parece dar sequência no lance. Mas faz o gesto, estabelece contato visual e marca a penalidade. Teve participação do adicional. Tem um toque que busca referência, há o contato, mas em nenhum momento o jogador puxa, empurra ou agarra. Contato natural de jogo, e o Marinho valorizou esse contato. Mas, no meu entendimento, não foi suficiente para marcar a penalidade”, finalizou.

Veja os lances abaixo:



 

Empate INJUSTO: Veja os gols do polêmico jogo Grêmio 2 x 2 Bahia

Deixe seu comentário