Após vencer a Chape, Vitória aumenta chances de sobrevivência na Série A

Leão diminuiu de 70,4% para 45,1% as chances de queda

FOTO: MAURICIA DA MATTA / EC VITORIA

Após vencer vencer por 1 x 0 a Chapecoense no último domingo, em plena Arena Condá, e contribuir para a demissão do técnico Guto Ferreira, o Esporte Clube Vitória diminuiu as chances de rebaixamento no Campeonato Brasileiro da Série A e consequentemente aumentou as chances de sobrevivência, principalmente após o empate do Ceará contra o Botafogo, que manteve o Vozão dentro do Z-4 e o Leão fora dela na 16ª colocação com 32 pontos.

De acordo com o site “Chance de Gol”, o Vitória tinha 70,4% de chances de cair para a Série B e após o complemento da rodada, diminuiu para 45,1%, como também aumentou a probabilidade de brigar por uma vaga na Copa Sul-Americana, tendo 10,4%. Atualmente, figuram na zona classificatória para o torneio internacional: Santos, Atlético-PR, Fluminense, Botafogo e os finalistas da Copa do Brasil (Cruzeiro e Corinthians).

O Instituto, especializado em probabilidades e estatística, leva em consideração o local da partida (dentro ou fora de casa), o retrospecto recente e os adversários que restam a cada clube enfrentar para realizar as previsões. Lembrando que se classificam para a Sul-Americana do 7º ao 12º colocado, no entanto, pode-se alongar até o 14º lugar dependendo dos campeões da Copa do Brasil e da Copa Libertadores.

Veja abaixo as probabilidades



Entenda como são feitos os Cálculos pelo “Chance de Gol”

As probabilidades de título, classificação, rebaixamento etc. publicadas neste site são obtidas com base nas probabilidades de vitória, empate e derrota calculadas para cada um dos jogos ainda não realizados so campeonato em questão. A partir de milhares de simulações de todos esses jogos, são contabilizadas todas as possibilidades de cada uma das equipes se classificar à fase seguinte, ir para a repescagem etc.

As probabilidades de cada resultado de cada jogo dependem basicamente da força de cada oponente. Tais forças, após quantificadas e ordenadas, são divulgadas mensalmente nos Rankings Chance de Gol de Seleções, Brasileiro de Clubes e Mundial de Clubes.

As forças calculadas e divulgadas nos Rankings Chance de Gol visam medir e ordenar o status atual dos clubes brasileiros e dos clubes e seleções de todos os continentes. Trata-se, portanto, de um conceito diferente dos rankings freqüentemente publicados por revistas e jornais, que pretendem apurar “as melhores equipes da história”, independentemente de seu nível técnico atual. Os Rankings Chance de Gol são, na verdade, ratings, se assemelhando em conceito aos rankings da FIFA, da IFFHS e da ATP, por exemplo, no sentido em que tem por objetivo apurar “as melhores equipes da atualidade”, independentemente de seu currículo histórico.

Os cálculos das forças (rankings) de cada time se baseiam unicamente nos resultados (placares) dos jogos realizados nos seguintes períodos e válidos pelas seguintes competições:

a) Clubes Brasileiros:
Período Coberto: últimos 12 meses
Competições Consideradas:
– Campeonato Brasileiro (Série A)
– Campeonato Brasileiro (Série B)
– Campeonato Brasileiro (Série C)
– Campeonato Brasileiro (Série D)
– Copa do Brasil
– Copa do Nordeste
– Copa Verde
– Campeonatos Estaduais dos estados que tenham pelo menos um clube nas Séries A e B
– fases finais dos Campeonatos Estaduais dos estados que tenham pelo menos um clube na Série C

b) Clubes Internacionais:
Período Coberto: últimos 24 meses
Competições Consideradas:
– Mundial de Clubes da FIFA
– Taça Libertadores da América
– Copa Sul-Americana
– Copa dos Campeões da Europa
– Liga Europa
– Copa dos Campeões da CONCACAF (*)
– Copa dos Campeões da Ásia
– AFC Cup
– Copa dos Campeões da África
– Copa CAF
– Copa dos Campeões da Oceania

c) Seleções:
Período Coberto: últimos 48 meses
Competições Consideradas:
– Copa do Mundo (*)
– Copa América
– Eurocopa (*)
– Copa Ouro da CONCACAF (*)
– Copa da Ásia (*)
– Copa da África (*)
– Copa da Oceania (*)
– Copa das Confederações
– Amistosos “data FIFA”
(*) incluindo as respectivas eliminatórias e/ou torneios classificatórios

Os resultados dos jogos considerados são processados levando em conta, entre outros fatores, o local de jogo (se em casa, fora de casa ou em campo neutro), a idade dos jogos (jogos mais recentes têm peso maior) e a força dos adversários. Os cálculos levam em conta os jogos realizados estritamente dentro do período especificado e não levam em consideração títulos ou classificações conquistadas ou quaisquer outras informações de cunho histórico, pois os resultados e títulos obtidos há 10, 20 ou 40 anos nada têm a ver com o estágio técnico atual dos times. Também não são considerados fatores não-matematizáveis como tabus, invencibilidades, desfalques, contratações, interferências de arbitragem, conjunturas políticas etc.

As forças (rankings) das equipes são sempre calculados conjuntamente no mesmo processo matemático, de forma semelhante ao exemplo abaixo:

Suponha-se que existissem, no banco de dados, apenas os seguintes resultados:
Equipe A 3×0 Equipe B,
Equipe B 4×2 Equipe C
e Equipe A 1×1 Equipe D.

Esses resultados equivalem, respectivamente, às equações:
xA – xB = 3
xB – xC = 2
e xA – xD = 0;

de onde o Ranking de Seleções poderia ser, dado pelas soluções dessas equações:
Equipe A: 10 pontos
Equipe D: 10 pontos
Equipe B: 7 pontos
Equipe C: 5 pontos

ou, equivalentemente, também poderia ser:
Equipe A: 3 pontos
Equipe D: 3 pontos
Equipe B: 0 pontos
Equipe C: -2 pontos.

Na prática, a existência de muitos confrontos entre as mesmas equipes e a presença de um efeito de mando de campo e de um peso associado à idade dos jogos (entre outras variáveis) obrigam o uso de técnicas mais sofisticadas para se resolver o sistema de equações e obter as forças (rankings) de cada time.

Os valores das forças de cada time (correspondentes aos seus pontos nos Rankings Chance de Gol) não têm significado proporcional absoluto, mas apenas significado aritmético comparativo: ou seja, se duas equipes têm 3 e 1 pontos, isso não significa que a primeira seja tecnicamente “três vezes melhor” do que a segunda. Ao contrário, a diferença técnica existente entre uma equipe com 3 e outra equipe com 1 ponto é rigorosamente a mesma que existe entre duas equipes com 4 e 2 pontos, com 1468 e 1466 pontos ou com 0,8 e -1,2 pontos.

As forças de cada equipe podem ser relacionadas às respectivas capacidades de marcação e de não-sofrimento de gols e a diferença de forças entre duas equipes pode ser interpretada como a diferença média de gols entre elas em um hipotético confronto direto. Por exemplo, se o Time X for 1,8 ponto melhor que o Time Y, isso significa dizer que, se esses dois times se enfrentassem muitas vezes nas mesmas condições, então o Time X marcaria, em média, 1,8 gol por jogo a mais que o Time Y. Por esse motivo, equipes com diferença de pontuação muito abaixo de 1 (ou seja, muito próxima de zero) podem ser consideradas, em algum sentido, “tecnicamente empatadas”.

No decorrer de um campeonato, cada time tem uma seqüência diferente de jogos a disputar, envolvendo adversários com forças diferentes em locais diferentes. Além disso, após cada rodada, os pontos ganhos, saldo de gols, número de vitórias, etc. das equipes participantes obviamente se alteraram. Também em conseqüência dos resultados da rodada, as forças dos futuros adversários de cada time são atualizadas e, conseqüentemente, as probabilidade de classificação à próxima fase, rebaixamento, etc. também são alteradas a cada rodada. Por isso, ao longo de um campeonato, nem sempre coincidirão as ordenações dos times por pontos ganhos e por probabilidades de título ou classificação.

Não se deve confundir probabilidade alta com certeza nem probabilidade baixa com impossibilidade. A atribuição de 80% de chance de vitória do Time X sobre o Time Y, por exemplo, não deve ser considerada como uma afirmação de que “o Time X VAI GANHAR o jogo”, mas como um favoritismo do Time X, ou seja como uma tendência de que a vitória do time X seja mais provável de acontecer do que o empate ou a vitória do time Y. Da mesma forma, uma probabilidade de 90% de o Time Z ser rebaixado não significa uma afirmação de que o Time Z “VAI SER REBAIXADO”, mas como uma tendência, baseada no retrato daquele momento, de que isso venha a acontecer.

Todas as probabilidades divulgadas no Chance de Gol (chances de vitória, empate e derrota no próximo jogo, chances de classificação à próxima fase, chances de ser campeão etc.), bem como as forças (rankings) de cada time, são baseadas em um modelo de probabilidades e calculadas através de técnicas matemáticas e estatísticas desenvolvidas em Tese de Mestrado (pelo Depto. de Estatística da USP) e testadas detalhadamente desde a Copa do Mundo de 1998.

Deixe seu comentário