Vasco aposta na força de São Januário para vencer o Bahia pela Copa do Brasil

Na época ainda treinado pelo técnico Zé Ricardo, o Vasco da Gama foi derrotado por 3 a 0 pelo Bahia que na ocasião era comandado pelo técnico Guto Ferreira pelo primeiro jogo da Copa do Brasil. Agora o time carioca terá a tarefa quase impossível de triunfar por uma diferença superior para se manter vivo na luta pelo bicampeonato da competição. O duelo acontece nesta segunda-feira às 20h no Estádio de São Januário no Rio de Janeiro.

No entanto, jogadores e membros da comissão técnica acreditam que é possível reverter a vantagem do Tricolor Baiano e fazer história. Para isso acontecer, entretanto, todos sabem que atitude não pode faltar ao time durante os 90 minutos da decisão. Para o experiente Wagner, o Vasco já provou em diversas ocasiões que a superação é um componente importante do seu DNA vencedor.

– O mais importante é fazermos a nossa parte. Temos que dar o nosso melhor. Precisamos de atitude para fazer o que planejamos para os primeiros 45 minutos. O que fizermos nesse período vai ser determinante para o resultado final. Vamos procurar ser um time equilibrado, com uma postura boa na defesa e também no ataque. Nosso objetivo é fazer pelo menos um gol na etapa inicial, até para termos tranqüilidade e jogar a pressão para o lado deles. Tenho certeza que o nosso torcedor vai incendiar o estádio e transformá-lo num verdadeiro Caldeirão – declarou o camisa 20.



Uma das maiores conquistas do Gigante da Colina completará maioridade na atual temporada. Há 18 anos, em São Paulo, o Vasco da Gama presenteou os amantes do futebol com uma das maiores reviravoltas do esporte. Após ir para o intervalo perdendo por 3 a 0 para o Palmeiras, o Cruzmaltino demonstrou um poder de superação absurdo, fez uma exibição de gala na etapa final e venceu o Alviverde por 4 a 3. O triunfo valeu o título da Copa Mercosul e até hoje é conhecido como “Virada do Século”.

– Foi uma virada improvável e que com certeza serve de inspiração para todos nós. É algo que vou falar para os jogadores no vestiário. Na verdade, os que trabalharam comigo na minha primeira passagem como treinador já conhecer naturalmente essa história, mas é importante relembrar esse feito. É claro que foi num jogo só. Estávamos tomando de três do Palmeiras e conseguimos uma virada excepcional com um jogador a menos em campo. Conseguimos nos superar e nos reorganizar taticamente, revertendo assim o resultado. Foi a maior virada que participei no futebol – afirmou o treinador Jorginho, que estava em campo naquela decisão em entrevista no site oficial do Vasco.

Deixe seu comentário