Com mais um de Gilberto, Bahia vence o Cerro e leva boa vantagem para o Uruguai

Mesmo desfalcado de alguns titulares, o Bahia abriu boa vantagem sobre o Atlético Cerro ao vencer o time uruguaio na noite desta quarta-feira (25), pelo placar de 2 a 0, em duelo pela Copa Sul-Americana, para um público de 11.932 pagantes e renda de R$ 98.246,00 no estádio de Pituaçu. Destaque para o centroavante Gilberto que abriu a contagem e marcou seu terceiro gol em 3 jogos pelo Esquadrão. Régis (de pênalti) anotou o segundo do importante triunfo para o Tricolor que ainda desperdiçou um pênalti com Zé Rafael mandando na lua e perdendo a ótima chance de somar uma gordura ainda maior para o jogo de volta, no Uruguai.

O Bahia só volta a enfrentar o Atlético Cerro no dia 8 de agosto, uma quarta-feira, às 21h45, no estádio Estádio Luis Trócolli, podendo perder até por um gol de diferença para avançar de fase. Antes disso, porém, volta o foco para o Campeonato Brasileiro. Na segunda-feira, encara o Atlético Mineiro, às 20h, na Arena Fonte Nova, pela 16ª rodada. Na sequência, dia 2 de agosto, o Tricolor recebe o Palmeiras em Salvador no primeiro duelo pelas quartas de final da Copa do Brasil.

Os primeiros 45 minutos de Bahia e Atlético Cerro em Pituaçu foram difíceis de assistir. Muitas faltas cometidas, muitos cartões amarelos e poucas jogadas de ataque, motivando as vaias ao término do primeiro tempo. O Esquadrão começou a partida ditando o ritmo e com certo domínio no meio campo, mas não soube aproveitar a posse de bola, ainda teve um pênalti não marcado pelo juiz. A melhor chance veio com Nilton, aos 33 minutos, com chute de fora da área. O time uruguaio incomodou a defesa tricolor com Franco López e Nicolás González, mas sem grande susto.



O Bahia voltou para a segunda etapa com Edson na lateral direita e Flávio no meio, iniciando as jogadas. Aos 7 minutos, Régis cobrou escanteio, a bola cruzou toda grande área e foi de encontro ao “chama-gol” Gilberto, que só fez cabecear sem marcação e com o gol aberto após bate-cabeça do goleiro. O Esquadrão aumentou aos 28 minutos, em contra-ataque armado por Marco Antônio que cruzou e arranjou um pênalti, cobrado e convertido pelo meia Régis. O terceiro para sacramentar o grande triunfo poderia ter saído em novo pênalti, sofrido porém desperdiçado pelo meia Zé Rafael, aos 33.

O Bahia jogou com Anderson, Flávio, Lucas Fonseca, Douglas Grolli e Léo (Mena); Edson, Nílton e Régis (Vinícius); Zé Rafael, Élber (Marco Antônio) e Gilberto.

Deixe seu comentário