O torcedor do Bahia mais uma vez engabelado pela politicagem

A dinastia dos Guimarães ligados umbilicalmente ao carlismo de ACM avô e ACM Neto (esse último conselheiro do time nos tempos de Marcelinho, lembram?). O Pai Guimarães com contratos no governo do Estado e o filho várias vezes candidato por um tal de PFL que viraria um tal de DEM esse que arrota um modernismo que até hoje eu não consigo enxergar (aliás um modernismo contra o metrô na cidade e agora querendo empurrar guela abaixo de Salvador um tal BRT ultrapassado e que está dizimando árvores na já pouco arborizada cidade).

Depois desse mesmo modernismo ponga a democracia tricolor (um movimento aproveitador dos políticos de todos os matizes para ganhar votos do torcedor do Bahia), e elege seu primeiro candidato Marcelo Sant’Ana, aquele mesmo que em troca de um tal saneamento das contas do time, gostava de bater boca com presidente do rival, fazia quebra-de-braço com jogadores importantes para o time, por seu comportamento infantil deixou o time de Kieza não conseguir o acesso em 2015, traz a peso de ouro a equipe de Guto Ferreira que subiu por sorte 2016 e em 2017 ilude o torcedor com o início do campeonato nacional com gols num momento insignificante do campeonato, só que mais tarde se revelaria uma farsa com a saída desonrosa de Guto para o Inter, a contratação tardia de Carpagiani e o desinteresse em continuar o trabalho deste último e para terminar uma campanha final pífia apenas poucos pontos do rival que passou o ano todo alvo de gozações, aliás, a diretoria do time e o torcedor não perdem essa mania de olhar o quintal dos outros enquanto o seu está infestado de problemas.

Sobrou apenas mais uma falsa expectativa em relação ao novo presidente, mas que de novo só a candidatura já que sua origem política é a mesma dos seus antecessores, MGF e MS.



Agora este ano , com novo presidente, um secretário arrancado por ACM Neto da política para o comando do Bahia, 2018 começa com o início sofrível pior que os tempos da ditadura de MGF, uma campanha é vexatória demais para um time que não se cansa de fazer memes e gozações em rede social do rival. Não tem novela da Globo das 20 horas que dê animo ao elenco nem disposição para ajustar o que é preciso.

A torcida fanática como sempre uma hora vai abrir o olho, cadê esse tal modernismo e juventude que não conseguem arrumar esse Bahia?

Marcelo Guimarães Filho, Marcelo Sant’Ana, Guilherme Bellitani, todos jovens, com formação superior, oriundos de meio social-econômico em tese com competência para tocar a atribuição que abraçaram, com acesso completo ao meio político não conseguem trazer 10% da graça que o Bahia já teve um dia.

Por enquanto essa tal renovação e competência administrativa arrotada pela juventude política que comanda o Bahia desde 2008 não disse que para que veio!!!

Pior mesmo é não saber aproveitar a visibilidade que a emissora nacional pretende (ou pretenderia) dar a Salvador que tem entre suas coisas mais características a alegria do torcedor do Bahia.

Mario Cezar, torcedor do Bahia, amigo e colaborador do Futebol Bahiano.

Deixe seu comentário