Bahia e Vitória têm experiências desastrosas com jogadores da base

O triunfo de estreia do nosso novo treinador tem que celebrado apenas pela quebra do velho ranço do antigo treinador que se apequenava quando jogava fora. Agora o primeiro tempo foi digno de duas equipes que disputam o Z-4, melhoramos no segundo tempo e apesar de jogarmos contra uma fraquíssima equipe cheia de desfalques fizemos apenas um gol e merecemos o resultado. Ainda é cedo para avaliar o trabalho de novo treinador, mas tivemos uma postura bem melhor sabendo impor sua superioridade técnica.

O Bahia esconde à sete chaves o valor da multa rescisória paga ao América-MG pela quebra de contrato do Sr. Enderson Moreira, mas segundo o jornal Superesportes de Minas o Bahia irá sim pagar um valor para o Coelho. O montante não foi divulgado, mas, a quantia é considerada baixa para os padrões do futebol brasileiro.

Além dessa compensação financeira para vinda do técnico Enderson, deve estar atrelada à saída de duas jovens promessas da base do clube. O atacante Kaynan e o zagueiro boliviano apelidado de “Bolívia”, que tinham contrato com o Bahia, rescindiram e assinaram com o America-MG. Kaynan foi artilheiro do Bahia na Copa do Brasil Sub-20 com cinco gols marcados, chegou até jogar algumas partidas no profissional e marcou um gol no Campeonato Baiano de 2017.

Já Bolíva não teve nenhuma oportunidade na equipe profissional, chegou a ser emprestado ao Bahia de Feira para disputa do Baianão deste ano. Tudo indica que este dois jogadores já estavam no Radar do América-MG que no final de maio tentou levar o zagueiro, enquanto Kaynan foi emprestado este ano justamente para disputar o Campeonato Mineiro pelo Caldense, e agora rescinde contrato para assinar em definitivo com o Coelho.



Vale ressaltar que o Bahia era sempre contrário a este expediente de dispensar atletas da base, uma prática bem comum para o nosso grande rival. Perdemos diversos jogadores da base antes da democracia por outros motivos e via justiça. Por falar nisso, quando o Bahia tentou repatriar Kieza, o São Paulo exigiu dois jogadores da base para fazer negócio, além de uma compensação financeira. O tricolor saiu da parada e o Vitoria cedeu ao São Paulo duas jovens promessas (O meia Geovane – que tinha 17 anos – e o atacante Ruan Café – que tinha 19 anos).

Além dessa transação envolvendo a base, para trazer o meia Cleiton Xavier o Vitória liberou a jovem promessa Yan – após se destacar na Copa São Paulo 2018 – ao Palmeiras que recentemente exerceu seu direito de compra pela bagatela de 1 milhão de reais, que foi pago pelo clube paulista também com o empréstimo do lateral-direito Lucas, atualmente banco de Cedric.

Recentemente o Vitória liberou o jovem José Welison, também formado na base, para negociar com o Atlético Mineiro que em troca deve ceder o volante Arouca, mas é bom lembrar que neste caso o jogador no meio do ano poderia assinar com qualquer outro clube já que seu contrato termina em dezembro/2018.

Nestes poucos exemplos citados, vimos que a experiência foi desastrosa para nosso maior rival tanto financeiramente quanto tecnicamente, também o exemplo se atém apenas à jogadores e nenhum envolvimento com técnico. Se o custo beneficio dessa vinda de Enderson será vantajosa ou boa para as duas equipes, só o tempo dirá.

Jorge Machado, torcedor do Bahia, amigo e colaborador do Futebol Bahiano.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*