Premiação da Copa do Nordeste sobe para R$ 26,4 milhões em 2019

A Copa do Nordeste entra na sua fase mais importante no inicio de maio, com a realização dos jogos das semifinais, no entanto, antes disso, a competição ficou confusa, e até incerta com os descontentamentos doe alguns clubes acerca do valor pago de premiação, até PERU deu palpite, digo, o Sport-PE que nada tem haver com a Copa do Nordeste já se picou deixando a competição com RUIM. Aliás, está sendo processado pelo Canal Esporte Interativo que exige uma multa de 12 milhões pelo não cumprimento acertado na justiça de Pernambuco.

Falou-se em racha entre os clubes, o fim da competição, apenas 10 clubes, a criação de uma 2ª divisão, enfim, mudanças tentando transformar a competição com maior atrativo. Vitória x Ferroviário de time misto ou Bahia e ALTO, realmente vai de encontro para algo que pretende ser lucrativo. Isto precisaria acabar. No entanto, definição de formula de disputa, será decidido em uma nova reunião no dia 3, novamente em Recife.

Alexi Portela presidente da Liga do Nordeste, organizadora da competição, ( A propósito, esse é cargo cairia perfeitamente no estilo e disposição ex-presidente do Bahia, Marcelo Sant’Ana) deu uma longa entrevista ao site superesportes onde falou sobre a reunião que aconteceu ontem em Salvador, ( anteriormente houve outra em Recife) e aonde estão querendo chegar. Mas de cara já garantiu que a competição acontece 2019, até porque, não acontecendo os clubes terão que arcar com um pesada multa com o Esporte Interativo.



Na reunião de Salvador, participaram os presidentes do Santa Cruz, Constantino Júnior; do Náutico, Edno Melo; e do Salgueiro, José Guilherme. Os dois primeiros já estão assegurados na fase principal, enquanto o Carcará jogará a seletiva contra a Juazeirense-BA, nos dias 18 e 25. No próximo dia 3 de maio, haverá um novo encontro, no Recife, dessa vez já com os clubes que passarem da fase classificatória para a definição da fórmula de disputa.

No geral, houve um aumento total de 17,8% nos valores das premiações da edição do próximo ano do Nordestão, que passará de R$ 22,4 milhões em 2018 para R$ 26,4 milhões, em valores líquidos (já descontados despesas com passagens e hospedagem). E pelo que foi definido na reunião, a “turbinada” nas cotas se dará na primeira fase, atingindo assim todos os clubes. Como ocorreu este ano, essa premiação será separada em quatro sub-grupos, com os clubes seguindo o ranking nacional da CBF.

Assim, Bahia, Vitória, Ceará e Santa Cruz, vão ficar no grupo 1 e vão receber pela primeira fase R$ 1,9 milhão, praticamente o dobro recebido esse ano (R$ 1 milhão). Os clubes que vierem da seletiva também se encaixarão nesse critério. Ou seja, o sub-grupo 4, com cota de apenas R$ 510 mil, será destinada ao quatro piores ranqueados dos 16 participantes, independentemente se vierem ou não da fase pré.

Nas fases decisivas, no entanto, haverá decréscimo no valor das cotas. Este ano, por exemplo, o time campeão levará R$ 1,5 milhaõ pelo título, contra R$ 1 milhão previsto inicialmente para 2019. Somando-se as cotas das fases anteriores, no entanto, o valor total pela conquista terá um aumento irrisório, passando de R$ 3,5 milhões para R$ 3,575 milhão. Já para quem vem do sub-grupo quatro, haverá uma diminuição do valor total pelo título, saindo de R$ 3,250 milhões para R$ 2,185 milhões.

“A reunião foi muito proveitosa. Ainda tentaremos aumentar o valor dessas cotas com patrocinadores, a partir da fórmula de disputa a ser definida na reunião do dia 3. O risco de haver outra competição morreu.

Na verdade, para mim, nunca existiu. Os clubes têm contrato assinado com o Esporte Interativo e a Liga e uma multa de R$ 12 milhões em caso de descumprimento. Acredito que sair seria uma irresponsabilidade de qualquer presidente. Sou a favor de uma nova reformulação da competição, de se buscar mais recursos. Mas tudo tem que ser tratado com responsabilidade. Não se achando maior do que todo mundo”, afirmou Alexi Portela, criticando indiretamente o presidente do Sport, Arnaldo Barros.

Vale ressaltar que na terça-feira, o Esporte Interativo, emissora detentora dos direitos da Copa do Nordeste até 2022 entrou com uma ação na Justiça cobrando R$ 12 milhões de multa indenizatória ao Sport pelo fato do clube ter abdicado da competição.

Fórmula de disputa

Ainda de acordo com Alexi Portela, a fórmula de disputa para a Copa do Nordeste do próximo ano não foi definida. Porém, na segunda-feira, os representantes de Santa Cruz, Náutico, Bahia, Vitória, Ceará e Fortaleza sugeriram um sistema de dois grupos de oito, com os grandes desses três estados ficando em cada um dessas chaves, o que garantiria a realização dos clássicos, já que os times de uma grupo enfrentariam os do outro.

Os quatro melhores de cada grupo avançariam para as quartas de final e a partir dai a competição seguiria em fórmula de mata-mata, com jogos de ida e volta, até o título. O problema é que para isso, a competição passaria de 12 para 14 datas, com a Liga precisando autorização da CBF para esticar o torneio. Caso não seja possível, já se estuda a possibilidade de jogo único nas quarta e na semifinal.

“Acho complicado até por conta da Copa América (que será disputada de 14 de junho a 7 de julho no Brasil). Mas a fórmula de disputa não está definida. Se não for possível, pode ser repetida até a atual (com quatro grupos de quatro equipes). Isso só será definido na reunião do dia 3, quando forem conhecido todos os clubes”, destacou.
Proposta de cotas para a Copa do Nordeste 2019

Fase de grupos:
R$ 1,9 milhão (do 1º ao 4º melhores colocados no ranking da CBF)
R$ 1,42 milhão (do 5º ao 8º melhores colocados no ranking da CBF)
R$ 1,22 milhão (do 9º ao 12º melhores colocados no ranking da CBF)
R$ 510 mil (do 13º ao 16º melhores colocados no ranking da CBF)

Quartas de final: R$ 300 mil
Semifinais: R$ 375 mil
Vice-campeão: R$ 500 mil
Campeão: R$ 1 milhão

Deixe seu comentário