STJD só irá analisar mandado de garantia do Vitória após decisão do relator

Kanu, mesmo relacionado para os jogos, segue sem poder jogar

O Esporte Clube Vitória segue aguardando e ainda esperançoso pela decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva em relação aos atletas punidos após o ocorrido no BA-VI do dia 18 de fevereiro. Com a negativa da entidade em conceder efeito suspensivo para Kanu, Yago, Rhayner, Denílson e Vagner Mancini, o clube ingressou com mandado de garantia direcionado ao presidente do STJD, Ronaldo Botelho Piacente, e também com um pedido de reconsideração da negativa de conceder o efeito suspensivo.

No entanto, o presidente da entidade decidiu que vai aguardar a decisão do relator sobre o pedido feito pelo clube. O relator não tem prazo para decidir sobre esse pedido de reconsideração, portanto, Kanu, mesmo relacionado para os jogos, segue sem poder entrar em campo.



Os atletas Yago, Rhayner e Denílson, todos envolvidos na briga generalizada, foram punidos pelo Pleno do Tribunal de Justiça Desportiva da Bahia com oito jogos de suspensão, que devem ser cumpridos no Campeonato Baiano. Kanu pegou um gancho mais pesado: 90 dias e 11 jogos de suspensão, o que o impede de atuar também por outras competições, além de multa no valor de R$ 75 mil – o pedido de efeito suspensivo para a multa foi concedido pelo STJD. Por fim, Mancini foi punido com cinco partidas de suspensão.

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*