BA-VI da Vergonha: Acabou sobrando apenas para o negão KANU

“TREPAR com o Vento” numa espécie de imitação pobre de cachorro novato

Tivemos ontem à noite, o julgamento agora pelo Pleno do Tribunal de Justiça Desportiva da Bahia, dos recursos acerca das penas impostas pela 1ª turma do mesmo Tribunal no último dia 27. Pouco mudou ou foi reformado, notadamente a pena imposta ao Esporte Clube Vitória que continuou barata. Criou artifício, abandonou o campo, utilizou-se do regulamento de forma imoral, lesou os torcedores que pagaram ingressos e não assistiram o prometido e por isto, terá 15 dias para desembolsar uma multa antes estipulada e agora mantida de R$ 100 mil

No entanto, noticias ainda oficiosa dão conta que o Esporte Clube Bahia, utilizando-se do regulamento irá reivindicar através do fórum adequado os valores apurados na bilheteria do jogo. Seria ideal, questionar, cobrar e se ganhar, receber, devolver pelo menos 50% dos valores surrupiados dos torcedores.

Já o técnico Vagner Mancini, ao contrário da decisão anterior onde saiu santificado, desta vez pegou cinco jogos de suspensão e no meu entendimento, levantou também, o troféu cara de PAU ano, porém com a estatueta confeccionada em ferro fundido sem polimento. Ele merece, mas de um. Merece dois.

Agora, estranho foi o aumento da pena do zagueiro KANU. Antes 10 jogos, agora 11, 90 dias de suspensão ficando impossibilitado de participar de qualquer competição durante o período e para quebrar a GUIA, ainda terá de que pagar R$ 75 mil de multa, quase à mesma do Esporte Clube Vitória.

Teve participação ativa no bafafá, utilizando-se do termo da moda, KANU foi protagonista na confusão, deu soco da cabeça, mostrou-se como autentico valentão, mas não foi o único, muito menos atirou a primeira pedra, e sim foi na onda do SANTIFICADO goleiro Fernando Miguel, o inventor da confusão seguramente insuflado por alguém, já que as imagens da TV mostram que o goleiro NEM VIU o jogador do Bahia comemorando com a dança do creu, Opsss… que prefiro chamar com a permissão dos senhores de dança  “TREPAR com o Vento” numa espécie de imitação pobre de cachorro novato na sua primeira iniciação sexual onde ainda não sabe se o buraco é em cima ou em baixo ou do lado.

Aliás, comemorar daquela forma completamente desrespeitosa é sim, uma autentica cachorrada, mas foi até bom, já que depois dos socos na cabeça, o meia Vinicius despertou e melhorou significativamente a qualidade do seu futebol. Santo Remédio.

Porém, ainda na dança do Creu, devo confessar que não devo me insurgir contra tal coreografia, já que faz parte da nata da família baiana que se prepara para apresentar a DANÇA no CREU em batizados, festa de primeira comunhão, casamentos em um futuro próximo.

Culpado ou inocente, agora não importa, mas fica claro que o Tribunal de justiça Desportiva da Bahia, elegeu o jogador do Vitória para dizer ou mandar um falso recado que exerceu seu papel de mando e de PUNIR os acontecimentos do BA-VI, quando de fato não puniu como se esperava e, sobretudo, como merecia diante das cenas lamentáveis ocorridas naquele vergonhoso BA-VI.

Portanto observo como injustificada a pena ampliada do jogador do Vitória, que não deu causa, e na outra ponta, não menos injustificada a pena mantida do jogador do Bahia, que foi o motivador e gatilho para tudo que veio depois e recebeu uma pena insignificante como fosse um autentico convite para  praticar novos atos de desrespeitos em casas alheias

Deixe seu comentário