Apresentado, Ex-Vitória chega falando em virar ídolo no Botafogo

K-9 não escondeu a felicidade de estar no clube de coração de seu pai

O atacante Kieza foi apresentado oficialmente pelo Botafogo na noite desta quarta-feira. Já regularizado e treinando, o centroavante já pode fazer sua estreia no sábado, diante do Madureira. Na sua primeira entrevista como jogador da Estrela Solitária, K-9 não escondeu a felicidade de estar no clube de coração de seu pai, Seu Carlos, e revelou sua expectativa: Se tornar ídolo e colocar o Fogão na Libertadores.

“Espero grandes coisas para o Botafogo. Além de fazer muitos gols, quero conquistar títulos. Botar o Botafogo novamente na Libertadores. Quem não quer ser ídolo num clube maravilhoso como esse? Espero ficar por muito tempo e dar muita alegria a todos”, disse.

Após negociação arrastada, que teve início em dezembro do ano passado, as partes envolvidas entraram em acordo no fim da semana passada. Kieza desembarcou no Rio de Janeiro no último domingo e realizou exames médicos na segunda-feira. Na terça e na quarta-feira, já treinou com parte do elenco no campo anexo do Nilton Santos. Assinou contrato de dois anos. O Vitória fica com 35% dos direitos econômicos do jogado e economiza quase R$ 3 milhões que seriam pagos em salários.

O último grande momento do atacante foi no Bahia, em 2015, quando fez 29 gols em 50 jogos. Depois disso, teve passagem relâmpago e apagada no São Paulo. Kieza estava no Vitória desde março de 2016. Ano passado, fez 12 gols em 32 jogos e vinha atuando no time titular em 2018, enfrentando Globo FC, Juazeirense e Vitória da Conquista.


Veja trechos da entrevista:

VOLTA AO RIO
Estou muito feliz de voltar para o Rio depois de quase nove anos. Volto para a cidade (na verdade ao estado, já que seu primeio clube no Rio foi o Americano, de Campos) onde praticamente comecei no futebol. E feliz por estar num clube grandioso como o Botafogo. Espero corresponder toda confiança e carinho em campo, principalmente do torcedor. Espero que sejamos felizes juntos no Botafogo.

ORIGEM DO APELIDO
Apelido é muito diferente. Ninguém consegue falar direito meu nome. Quando jogava no Abecedário, na base, ele não conseguia falar de jeito nenhum. Jogava com meu primo no ataque, o nome dele era Kiel. Falavam Kieza e Kiel, e pegou.

POUCAS CHANCES NO FLU?
Na verdade eu tive oportunidades no Fluminense, mas tive uma contusão muito séria no tornozelo. Fiquei três ou quatro meses parado depois e não tive a sequência que vinha tendo, mas espero que a passagem pelo Botafogo seja maravilhosa. Estar num grande clube como o Botafogo me deixa muito feliz.

DISPUTA COM BRENNER
Disputa sadia, acho que isso ocorre em todo clube, estou sempre preparado. Chego para somar e ajudar da melhor maneira possível. Fui muito bem recebido, ambiente muito agradável, o que é difícil de ver em outros clubes. Fui muito bem tratado. Vou procurar fazer o meu melhor, e o Botafogo só tem a ganhar com isso.

Deixe seu comentário

2 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*