Meia da Ponte Preta pensa no Vitória 24 hora por dia

Após a derrota para o Fluminense no Maracanã, a Ponte Preta se reapresentou iniciando os preparativos para o jogo contra o Esporte Clube Vitória que acontece no próximo Domingo no Estádio Moisés Lucarelli. Com um ponto atrás do time baiano, caso a Ponte vença, tem boas chances de sair da zona de rebaixamento. Antes do treinamento o meia Wendel falou sobre a partida e foi claro: “O pensamento é no Vitória 24 horas por dia”

“Temos que primeiro pensar em fazer o nosso trabalho, vencer principalmente o Vitória, que é o jogo mais importante do ano. Se tornou o jogo mais importante da temporada, da história da Ponte Preta, para a cidade de Campinas e de nós atletas que estamos vestindo a camisa e representando esse clube tão tradicional do futebol brasileiro. Temos que focar. O torcedor entendeu isso de uns quatro jogos para cá. Estamos lutando, ninguém desistiu e é tratar desse jogo como uma grande final, respeitando o Vitória, mas no final da partida, que os três pontos estejam conosco”, reforça o atleta.

Mesmo aos 35 anos, o volante não vê diferença no sentimento que cada atleta carrega dentro de campo. “Seja para os mais velhos e experientes, como para os mais novos, a pressão é a mesma. O frio na barriga é igual. Nós gostaríamos que o jogo já fosse o quanto antes. É uma semana tão decisiva e tenho certeza que o torcedor está tão apreensivo como nós. Vai ser pedreira. O pessoal do Vitória diz que eles virão para ganhar, mas na nossa casa, nos nossos domínios, diante do nosso torcedor, sabemos da força que temos no Majestoso. Acredito na vitória, e que vamos para São Januário, enfrentar o Vasco na última rodada, confiantes em deixar a Ponte na primeira divisão”, ressalta o jogador.

Wendel também comentou sobre a expulsão do seu colega de posição Naldo, na partida diante do Fluminense. Para o atleta, foi uma atitude equivocada da arbitragem do Anderson Daronco. “O que eu posso falar como atleta, nesses anos todos de futebol, é que há situações em que os árbitros podem levar de outra forma. Eu nunca vi isso acontecer no futebol. Poderia simplesmente ter dado o cartão amarelo para o Naldo, tanto que as duas entradas não encostaram no adversário e o jogo iria transcorrer normalmente. Ficamos chateados por isso. Muitas vezes, eles árbitros veem mais fortes quando é contra a Ponte. A ação da arbitragem é diferente. Mas temos que nos dedicar, para que tudo possa dar certo”, avalia o meio-campista.

O jogador ainda projeta um duelo duro diante do Vitória. “Será um jogo truncado. Duas equipes pressionadas, campo cheio, em que os times tentarão errar o menos possível, aproveitar bolas paradas, que hoje em dia decidem partidas. Temos que ter a cabeça fria, que a arbitragem também seja imparcial e que conquistemos os três pontos”, completa.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*