De olho no G-7, Bahia encara o ameaçado Sport-PE e seca os Cariocas

Embalado, Esquadrão busca triunfo e torce contra Flamengo, Vasco e Botafogo.

Foto: Marcelo Malaquias / EC Bahia

Talvez nem o mais otimista dos torcedores esperava essa arrancada surpreendente do Bahia no Campeonato Brasileiro. Quando Carpegiani assumiu um time oscilante e desmotivado deixado por Preto Casagrande, tudo mudou. A atitude, o futebol, o cenário e principalmente o objetivo. Se antes apenas livrando-se do rebaixamento o torcedor já se dava por satisfeito, agora não pensa em outra coisa que não seja terminar a competição com a tão sonhada e cobiçada vaga na Copa Libertadores que parece tão perto, porém, ainda restam 3 decisões e é preciso manter 100% do foco para não cometer vacilos.

O adversário será o ameaçado e cambaleante Sport Recife, que está com um pé atolado na Série B, mas ainda luta com unhas e dentes para escapar do rebaixamento e para isso teria que torcer por tropeços do rival tricolor, o Vitória, além de Fluminense e Ponte Preta. Pressionado, o Leão de Pernambuco vem de goleada sofrida para o Palmeiras (5×1), enquanto o Bahia embalado com o triunfo fundamental sobre o Santos (3×1), na Arena Fonte Nova.

Com seu melhor desempenho (e pontuação) na Série A desde o surgimento dos pontos corridos, o Bahia também busca atingir sua melhor posição desde 1994 quando terminou a competição na 7ª posição. Antes disso, em 1990, ocupou a 4ª posição ao término do campeonato. Com 49 pontos, na 9ª posição, o Esquadrão está há 1 ponto do G-7 e colado nos cariocas: Vasco (8º), Flamengo (7º) e Botafogo (6º). Ou seja, além de vencer os pernambucanos, precisa ligar o secador para cima dos concorrentes diretos por vaga na Libertadores.

A posição atual do Bahia (9º colocado) não garante vaga na Libertadores, mas pode vir a garantir caso Grêmio e Flamengo sejam os campeões das Copas Libertadores e Sul-Americana edição 2017. Desta forma, abririam mais duas vagas, é claro, caso o Rubro-Negro fique entre os 9 primeiros colocados, algo previsível. Porém, a meta do tricolor baiano é ficar entre os 7 e assim garantir vaga na pré-Libertadores. Por enquanto, os 5 primeiros estão garantidos na fase de grupos da competição continental, enquanto o 6º e 7º vão para a fase preliminar com dois mata-matas.

Para a partida deste domingo, 19, às 16h (da Bahia), na Ilha do Retiro, o técnico Paulo César Carpegiani deverá seguir sem sua zaga titular. Isso porque Lucas Fonseca, recuperado de lesão, ainda aprimora a parte física. Suspenso, Renê Júnior dará lugar a Edson, que voltou a campo na quinta após quatro jogos fora. Com isso, o time não terá nenhuma surpresa. Joga da seguinte forma: Jean; Eduardo, Tiago, Thiago Martins e Juninho Capixaba; Edson e Juninho; Allione, Zé Rafael e Mendoza; Edigar Junio.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*