O BaVi e os próximos desafios de Bahia e Vitória na Série A

Li com atenção ao texto de Paulinho Fernando onde demonstra sua opinião sobre o último BaxVi do ano, um crítico ferrenho das posições assumidas pelo dono do blog e até se mostra um pouco duro usando expressões como rubro-rosa, talvez pelo fato da cor rosa ser uma mistura de vermelho com branco como se o amigo Dalmo fosse alguém que ficasse em cima do muro em questões que envolvem os principais times baianos, o que eu não acredito ou talvez pelo fato do amigo Dalmo criticar as vezes de forma bastante dura seu time do coração, como se tais críticas não fossem relevantes ou talvez injustas.

De qualquer forma, passar a mão na cabeça quando um time de futebol não vai bem não é a melhor estratégia. Acredito que Dalmo tenha elogios a fazer para o Bahia dele que jogou Domingo.

Eu tenho opinião contrária a meu time. Não dá para dizer expressamente que o Vitória jogou mal. Também não posso dizer que tenha feito uma boa partida. Na minha visão, o jogo foi fraco, violento as vezes por causa de jogadores rubro-negros, muitos passes errados no primeiro tempo, um jogo truncado com muita marcação de ambos os lados.

Apesar disso, o Vitória teve um lance decisivo ainda no primeiro tempo nos pés de David, porém, infelizmente, o cara ainda não aprendeu que o Futebol é um esporte coletivo, e se prestasse atenção ao time e não a si mesmo, teria visto Trellez correndo a seu lado e com o gol totalmente vazio, pronto para fazer o gol. Ao invés disso, preferiu chutar desconsiderando que está jogando futebol com mais 10 em campo.

O segundo tempo foi mais aberto e bem mais agradável de assistir que o primeiro tempo, mas erros de passes errados persistiram de ambos os lados. E foi em uma infelicidade total de nosso zagueiro Wallace que aconteceu o primeiro gol do Bahia, algo que o próprio Wallace viria a consertar no gol do Vitória.

Mas, eu mesmo não sentia segurança em meu time. Não sentia segurança por que os jogadores se mostravam inseguros, talvez por medo ou por falta de confiança devido ao mal resultado do jogo anterior.

O gol do Bahia aconteceu por uma falha coletiva de marcação. Afinal, quem não sabia que os principais nomes dos caras eram Regis e Edgar Junio? Se a gente sabia, o Mancini sabia e os jogadores de defesa sabiam. Mesmo assim, deixaram apenas um jogador marcando o cara. Kanu faz muita falta a defesa do Vitória. Se o cara mostra deficiência técnica para passe em alguns momentos, tem vibração de sobra e faz com maestria o que foi contratado no time que é zagueirar segundo palavras de Felipão em uma entrevista não me recordo quando.

Vida que segue, o campeonato está chegando a sua fase decisiva e a hora para vacilos acabou. Serão 8 jogos até o final e nas minhas contas temos que fazer 48 pontos o que significam 15 pontos ou 5 vitórias. Notem que a muito tempo atrás eu já tinha divulgado esse número, aí aparece um dos matemáticos afirmando que serão necessários 47 pontos para fugir do rebaixamento. Para o Bahia a tarefa será mais fácil pois precisará de apenas 3 vitórias e 1 empate. Mas, não pode se acomodar. O Sprint final é que define os vencedores.

Marcos Guimarães, torcedor do Vitória e amigo do BLOG.

Deixe seu comentário

2 Trackbacks / Pingbacks

  1. 안전토토사이트
  2. Sapa Trains

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*