Caso Victor Ramos ainda rende assunto para o Inter

O caso que foi Denominado de VICTOR Ramos, hoje jogador reserva da Chapecoense rendeu e ainda rende pano para confeccionar um Bandeirão do Vitória e três paletós para o nosso amigo Vovo-Mundico ainda que use GG+G.  Começou no Campeonato Baiano envolvendo o Esporte Clube Bahia, Flamengo de Guanambi e Monterrey do México. Envolveu STJD, CBF, FBF. Entrou pelo Campeonato Brasileiro, agora envolvendo Vitória e Internacional no bafafá. Foi parar na Corte Arbitral do Esporte (CAS) na Suíça, onde bateu e voltou e entrou num terreno quase policial com acusações de uso de falsificação de e-mail. Portanto ainda não morreu e se morreu, ainda não foi enterrado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva que insiste em levar o caso além.

A nova é que segundo a imprensa do Sul, anotam e publicam que delegado do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) Mauro Marcelo de Lima e Silva desembarcou nesta quarta-feira (10), em Porto Alegre, para ouvir os envolvidos na ação movida pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) contra o Internacional. Segundo a entidade, os documentos apresentados pelo clube no caso envolvendo a transferência do zagueiro Victor Ramos para o Vitória no ano passado estavam adulterados.

A CBF afirma que, após uma perícia, foram constatadas modificações de “forma e conteúdo, subtração de palavras, textos, nomes e frases, além da inserção indevida de palavras, letras e assinaturas, modificações essas de conteúdo capazes de descaracterizar o seu sentido original” na documentação apresentada pelo time gaúcho.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*