A vez do futebol desde sempre

Resolvi escrever esse post, após ler o que o Amigo Mauricio Guimarães (aqui) disse sobre a hora de investir no futebol. Para mim, a hora de investir no futebol está ai desde o princípio, os recursos nunca foram assim tão escassos para essa gestão e o que os torcedores gostariam, não é que a diretoria tivesse gasto o que não tinha, mas que tivesse gerido os recursos disponíveis com inteligência, profissionalismo e competência. O clube teve bons recursos para as duas séries B que fez, teve o contrato com o EI e consegue, a cada ano, angariar mais fontes de renda. O gasto com o futebol aumentou de um ano para o outro, o que faltou, a meu ver, foi uma boa aplicação destes recursos.

Os torcedores tricolores não são 8 ou 80 como muitos aqui falam sempre (são 88 e 59 também), a torcida quer que se faça um bom trabalho, mas é claro que todos sabem as limitações de recursos disponíveis, entretanto, isso não é impedimento para se ter feito bem com o que se tinha em mãos.

O Bahia teve orçamento para o futebol maior que o do Vitória durante a gestão MS, arrecadou mais globalmente e gastou mais com o futebol, o que faltou para o Bahia não foi recurso, foi um trabalho sério e de qualidade no Departamento de Futebol, o princípio disso seria contratar bons profissionais para gerir e administrar o futebol, em seguida montar uma estratégia para encontrar realmente bons valores, jogadores que pudessem contribuir com os objetivos do clube e que, ao mesmo tempo, tivessem interesse de vencer como atletas, profissionalismo e qualidade para que essa combinação de fatores, boa direção no departamento de futebol, uma boa comissão técnica e bons jogadores o clube conseguisse crescer novamente também dentro de campo.

Além disso, deveriam ter adotado uma política para a base, com uma filosofia de criar os atletas e gerar neles uma identidade com o Bahia, observando que divisão de base serve para lapidar os jogadores dentro da filosofia do clube e não para ganhar copinha ou brasileiro sub-qualquer coisa. O valor da base está em revelar atletas para o profissional e isso deve ser feito dentro de uma estrutura organizada, para tal, para que esses frutos possam ser gerados no futuro com maior frequência em um trabalho direcionado.

O Departamento de futebol do Bahia está mal e isso não se deve exclusivamente à situação calamitosa das finanças que, aliás, estavam sendo sanadas desde os tempos da intervenção e MS já herdou coisas encaminhadas e uma situação melhor do que Carlos Ratis e também Fernando Roth Schmidt tiveram.

O que se esperava de MS era um trabalho melhor no futebol, não mágica, muitos ficam generalizando os torcedores do Bahia, eu entendo os rubro-negros fazê-lo por piada e brincadeira, mas os torcida azul vermelha e branca precisa parar de chamar uns aos outros de tolos, seguidores deste ou daquele, corneteiros, etc e tal, ninguém é bocó aqui, nem que apoia MS e nem quem não gosta do trabalho que ele está fazendo, além daqueles que apenas criticam o que não gostam, mas apoiam o que concordam.

Todos têm direito de opinar, de ser contra ou a favor, sem que precisem ouvir que não sabem torcer ou acusados de serem iludidos, e os que apoiam MS também merecem respeito, mas devem também ser honestos e admitir quando este comete erros, todos os torcedores que têm o avanço do clube no coração e na cabeça, devem sim criticar e também apoiar quando a situação pedir, com coerência e sempre buscando os fatos.

A respeito do futebol, não importa a desculpa da situação financeira do clube, o fato é que MS teve a sua disposição recursos suficientes para executar um trabalho melhor do que fez até agora, felizes todos ficamos com o acesso, mas todos também desejavam um time melhor para esta temporada, um time capaz de enfrentar o desafio da serie A com honradez e até o presente momento o que temos são dúvidas de ficar tranquilos no meio da tabela ou se vamos sofrer na luta contra o rebaixamento, isso não é o desejo de ninguém para o clube, mas lembrem-se de que a diretoria dizia trabalhar por um brasileiro tranquilo longe das ultimas posições, lembramos também que recursos foram desperdiçados ano passado com uma equipe mal montada, um treinador mal escolhido e tivemos de mudar o rumo no meio da competição, contratar novo treinador e quase um time de reforços, sendo que o resultado foi à conta certa, quando se esperava mais da equipe que tinha um orçamento muito maior que a maioria dos adversários na competição.

Quanto à questão de Mauricio sobre as ilusões da torcida, eu não concordo com a sua opinião, as conquistas do passado não são o que iludem o torcedor sobre o que o Bahia pode fazer hoje em dia, o torcedor tem orgulho do passado sim, mas também uma visão clara de onde querem ver o clube, sempre soubemos que a escalada é difícil até ao topo do Brasil, mas chegamos lá e acreditamos poder um dia, novamente, mas isso não gera confusão entre o ontem e hoje, todos sabem sim o que ocorreu no Bahia e que nada mudará da noite para o dia, porém, o que muitos que questionam e não concordam é com o processo escolhido para o soerguimento do tricolor de aço, o Bahia é um clube de FUTEBOL e os dirigentes deveriam ter isso como principal elemento, seja em reconstrução, recuperação ou o que quer que eles estejam fazendo, no entanto, o futebol ficou em segundo plano, o torcedor que não comprou o papo da vez do futebol ficou em terceiro plano e as finanças que, claro, são importantes, se tornaram a cara do novo Bahia de MS e seu grupo. O Bahia comemora, fatura, paga hoje em dia,  até mesmo posto que talvez tenha sido inevitável esse caminho, ainda assim, ele poderia ter sido navegado com maior competência na área que realmente importa para os torcedores e que é a razão de ser da instituição, o FUTEBOL.

Dito isto, desejo sim que MS tenha sucesso e que quando deixar o clube, saia de cabeça erguida por ter feito um bom trabalho, mas ele deve saber que errou também e espero que no final reconheça onde errou, tenha orgulho onde acertou, mas que seja principalmente honesto com o torcedor, falhando ou triunfando. Quanto a ser a hora de investir no futebol, estou de pleno acordo com o amigo tricolor Mauricio Costa e digo mais, já passou da hora.

Yvez Pineiro