Camaronês acusa técnico do Jacuipense de injúria racial

Um assunto que vem se tornando “normal” no futebol mundial pela frequência com que acontece, alguns ganhando maior repercussão do que outros, mas todos com a mesma intenção, de ofender a honra do ser humano. Neste domingo (12) em partida em que marcou a estreia do volante camaronês Koffi pelo Flamengo de Guanambi no estádio Eliel Martins em Riachão do Jacuípe, o técnico Clébson Beleza, do Jacuipense, foi acusado pelo jogador de injúria racial, inclusive, registrou na delegacia uma ocorrência contra o treinador que teria chamado o atleta de “macaco” segundo apurado. A partida terminou com triunfo do Jacuipense por 2 a 1. A polícia civil irá investigar o caso, enquanto isso, a diretoria do time de Jacuípe ou o acusado não se pronunciaram. 

Veja o relato do jogador:

“Ocorreu o seguinte: tinha uma jogada deles, aí eu antecipei a bola, e ela ia saindo do campo. Aí eu dei um chutão perto dele [Clebson Araújo]. Quando eu dei o chutão, ele começou a me xingar. Me chamou de filho da p.., vá tomar no…, macaco. Falou desse jeito aí. E o bandeira… Parece que ele está falando que o bandeira é testemunha dele. O bandeira ouviu, sim, porque eu cheguei nele e falei. Ele falou: “Não, fique tranquilo, eu já acionei o juiz”. Quando o juiz se aproximou, aí o bandeira pipocou e falou que não ouviu. Mas eu tenho certeza que ele ouviu. E tem um jogador nosso que estava perto e ouviu. Até agora está na minha cabeça o que ele falou: “Vá tomar no…, macaco, filho da p…”. Ele está falando aí que não falou, mas, quando terminou o primeiro tempo, ele chegou em mim para pedir desculpa” 

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*