Testemunha diz que também foi apalpada por Daniel Alves em boate

o lateral passou a mão em suas partes íntimas, até ela conseguir se desvencilhar e ir embora.

Foto: Josep LAGO / AFP

A situação do jogador Daniel Alves segue complicando cada vez mais. De acordo com o jornal catalão “La Vanguardia”, uma das testemunhas do caso do suposto estupro na Sutton, em Barcelona, revelou à polícia que também foi apalpada violentamente pelo atleta. De acordo com a jovem, o lateral passou a mão em suas partes íntimas, até ela conseguir se desvencilhar e ir embora.

 

Ainda segundo a matéria, a unidade especial contra agressões sexuais da Polícia da Catalunha (Mossos d’Esquadra) recorreu a relatos de “dezenas de pessoas” que estiveram no local naquela noite. O porteiro da boate foi ouvido e teria interpretado o ataque de ansiedade da suposta vítima como um sinal de que algo não estava bem. Outro foi um dos funcionários da área VIP, que teria convencido às amigas a se juntarem a mesa de Daniel Alves.

ENTENDA O CASO

O episódio teria ocorrido na madrugada do dia 30 para 31 de dezembro, na casa noturna Sutton, em Barcelona. A jovem afirma que Daniel Alves agarrou a sua mão e levou-a ao pênis, repetindo o gesto repetidas vezes apesar de a jovem resistir. Depois, o jogador pediu para ela segui-lo e a levou banheiro da área VIP. A vítima denunciou que foi trancada no local pelo atleta, que a obrigou a fazer sexo e quando ela resistiu, foi agredida.

Funcionários da casa noturna acionaram a polícia e uma ambulância. Ela foi transferida para o Hospital Clínic, onde foram feitos exames médicos. Segundo fontes consultadas pelo jornal, o laudo médico afirma que há algumas lesões compatíveis com a agressão. A mulher foi dois dias depois da suposta agressão denunciar os fatos à polícia. Ela entregou o laudo médico e também o vestido que usava na noite de 30 de dezembro.

Autor(a)

Fellipe Costa

Administrador e colunista do site Futebol Bahiano. Contato: futebolbahiano2007@gmail.com

Deixe seu comentário