Vitória acumula decepções e chega ao quarto treinador em 2022

Em 2022, o Vitória iniciou o ano com Dado Cavalcanti, demitido em março com 46% de aproveitamento.

Fotos: Reprodução / EC Vitória

Durou apenas dois meses a passagem de Fabiano Soares pelo Esporte Clube Vitória. Após a derrota para o Botafogo-SP, por 1 a 0, na noite do último domingo (19), no Estádio Manoel Barradas, o treinador acabou demitido. O anúncio foi feito pelo diretor de futebol, Rodrigo Pastana. Ao todo, o técnico esteve a frente da equipe em 8 jogos, com três vitórias, dois empates e quatro derrotas. Ele assumiu o Leão no final de abril, na 18ª colocação, após demissão de Geninho. Agora devolve na 16ª colocação, um degrau acima do Z-4, e com três jogos seguidos sem vencer.

 

Natural de Mutum (MG), Fabiano Soares iniciou a carreira de treinador em 2006, no Compostela, da Espanha, onde também treinou o Estradense. Foi um dos primeiros brasileiros a conseguir a licença da UEFA para trabalhar fora do país. No futebol português, Fabiano comandou o Estoril Praia de 2012 até 2017 – começou como auxiliar até virar o técnico principal. Em 2019, por sua vez, trabalhou no sul-coreano Jeonnam Dragons. O primeiro trabalho no futebol brasileiro foi no Athletic-PR, em 2017, ficando 26 partidas, com 10 vitórias, 6 empates e 11 derrotas. Passou também pelo Barra-SC.

Com a demissão de Fabiano Soares, o Vitória vai para o seu 4º treinador na temporada 2022. O clube agiu rápido e acertou o retorno de João Burse. O Vitória iniciou o ano com Dado Cavalcanti, demitido em março com 46% de aproveitamento. O substituto, o experiente Geninho, não conseguiu elevar o rendimento do Rubro-Negro e caiu após quatro jogos e 25% de rendimento. Fabiano Soares assumiu em abril, e até teve um bom início, mas o time caiu de produção e ele acabou demitido com 45,8% de aproveitamento.

 

Deixe seu comentário!

PUBLICIDADE

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*