CBF vai se reunir com Conmebol e quer punição severa para casos de racismo

Nos últimos dias, vimos casos de racismo no futebol contra torcedores brasileiros.

Foto: Reprodução/CBF

Nos últimos dias, vimos casos de racismo no futebol contra torcedores brasileiros. No duelo entre Corinthians e Boca Juniors pela Copa Libertadores, terça passada, um torcedor argentino imitou um macaco em direção aos corintianos. Ele chegou a ser debito na Neo Química Arena, mas foi liberado após o pagamento de fiança. No mesmo dia, torcedores do Estudiantes (ARG) ofenderam torcedores do Red Bull Bragantino. Na quarta, torcedores do Palmeiras foram ofendidos no duelo com o Emelec (EQU), fora de casa. Na última quinta-feira, torcedores da Universidad Católica (CHI) também foram flagrados cometendo racismo na derrota para o Flamengo.

 

O presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, se posicionou sobre os recentes casos de racismo no futebol em jogos ocorridos pela Libertadores e demonstrou preocupação e indignação. “Esses casos de racismo no futebol, principalmente em jogos da Libertadores, têm trazido uma preocupação muito grande, muita tristeza e indignação para a CBF. Nós temos tratado esse assunto diretamente com o presidente da Conmebol, o Alejandro Domí01nguez, e que também está muito indignado”, disse Ednaldo.

De acordo com Ednaldo, uma reunião está agendada na Conmebol para tratar do tema. “Uma reunião deve acontecer em breve, reunindo todo o conselho da Conmebol para que todas as Federações possam ratificar e endurecer as punições no que diz respeito ao racismo. A CBF já vem tratando o racismo no futebol diretamente com o presidente da Fifa, Gianni Infantino. Isso desde Abu Dhabi, quando teve o Mundial de Clubes”, completou.

A CONMEBOl emitiu um comunicado repudiando os casos de racismo. Veja abaixo.

“Diante dos últimos casos de manifestações racistas ocorridos durante os torneios da CONMEBOL, a Confederação Sul-Americana de Futebol afirma o seguinte:

– A CONMEBOL considera ABSOLUTAMENTE INACEITÁVEL qualquer manifestação de racismo e outras formas de violência em seus torneios. Assume e assumirá sempre a sua cota de responsabilidade no combate a todo o tipo de discriminação. O combate a este flagelo ocupa um lugar central nas preocupações e no trabalho da CONMEBOL, o que se evidencia nas múltiplas campanhas de sensibilização e ações de grande envergadura, bem como na aplicação de sanções a quem incorrer nestas práticas desprezíveis.

– A CONMEBOL promoverá mudanças na regulamentação para AUMENTAR E ENDURECER as penalidades em casos de racismo. Também se compromete a desenhar e implementar novos programas e ações que visem banir definitivamente este problema do futebol sul-americano.

– O futebol é um difusor incomparável de valores positivos e construtivos na sociedade. Nos campos, treinos e competições, os jogadores de futebol aprendem desde cedo a respeitar seus adversários e valorizar suas virtudes, a tolerar os erros dos companheiros e ajudar a corrigi-los, a trabalhar em equipe e em união, a saber que o caminho para vitória é a do trabalho e do sacrifício. A CONMEBOL intensificará o trabalho contra o racismo e outras formas de discriminação nas CATEGORIAS FORMATIVAS.

– É preciso ressaltar que o racismo não é um fenômeno que começa e termina no futebol, que, sendo um espetáculo massivo, torna-se mais um campo de ampla visibilidade em que este e outros vícios sociais podem vir à tona. A sensação de anonimato proporcionada pelas arquibancadas esportivas leva os desajustados a desencadear seu comportamento inaceitável. No entanto, isso mudou muito nos últimos anos, pois agora é possível IDENTIFICAR CLARAMENTE OS INFRATORES E PUNI-LOS COM A MAIOR GRAVIDADE.

– Esses flagelos não serão superados se não se entender primeiro que eles devem ser atacados em todos os níveis: na educação familiar, nas escolas e faculdades, na mídia, nas organizações civis, no mundo empresarial, através das políticas públicas e certamente também em esportes.

– A CONMEBOL exorta todos os jogadores do futebol sul-americano – clubes, federações, mídia e torcedores – a REDOBRAR ESFORÇOS PARA ERRADICAR O RACISMO e outras formas de violência e discriminação e preservar o que há de mais valioso no nosso esporte: sua mensagem de camaradagem, esportividade e saúde concorrência.”

Deixe seu comentário!

2 Trackbacks / Pingbacks

  1. Bahia inicia preparação para enfrentar o Londrina na Fonte Nova
  2. Bahia fecha a 5ª rodada na vice-liderança da Série B; Veja classificação

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*