Justiça condena o Vitória a pagar R$ 800 mil ao meia Nickson

O salário do atleta era de R$ 30 mil por mês.

FOTO: MAURÍCIA DA MATTA / EC VITÓRIA

A situação financeira do Esporte Clube Vitória piora a cada dia, principalmente quando se trata dos processos movidos por ex-jogadores do clube. Nesta quarta-feira, a juíza Edlamar Souza Cerqueira, da 17ª Vara do Trabalho de Salvador, condenou o Leão a pagar R$ 800 mil ao meia Nickson, que havia acionado o clube cobrando salários atrasados e e não recolhimento do FGTS, débitos que foram iniciados na gestão de Paulo Carneiro. O salário do atleta era de R$ 30 mil por mês. Porém, vale destacar que a decisão cabe recurso. Em agosto, ele conseguiu se desligar do Rubro-Negro e assinou com o Jacuipense.

 

Natural de Recife, Nickson Gabriel Reis Silva é filho do ex-jogador Jackson, que atuou no Vitória entre os anos 2007 a 2009, e já defendeu na carreira Sport, Palmeiras, Internacional, Bahia de Feira, entre outros. O atleta é cria das divisões de base do Vitória e fez seu primeiro jogo pelo profissional em 2015, contra o Santa Cruz, pela Série B. Em 2017, foi emprestado ao Cruzeiro, onde atuou pelo Sub-20, Sub-23 e fez uma partida pelo time principal na Primeira Liga.

Retornou ao Leão em 2018 para integrar o elenco principal. Foram 18 jogos e um gol marcado, mas perdeu espaço e no segundo semestre reforçou o time Sub-23 no Brasileiro de Aspirantes. Em 2019, novamente iniciou com a equipe principal, atuando 16 jogos, entre Nordestão, Baianão, Copa do Brasil e Série B, mas outra vez perdeu espaço e terminou o ano com o time sub-23. Em 2020, foi incorporado ao elenco de transição para disputa do Baianão, mas com o fim da equipe sub-23, não teve chances na equipe principal.

LEIA TAMBÉM

Deixe seu comentário!