Conmebol proíbe políticos no gramado na decisão da Libertadores entre Santos e Palmeiras

Palmeiras e Santos se enfrentam no próximo sábado (30), às 17h, no Maracanã

De acordo o jornalista Marcel Rizzo, em sua coluna no portal UOL, a direção da Conmebol elaborou um protocolo para o pós-jogo da final da Copa Libertadores, que será disputada entre Palmeiras e Santos no próximo sábado (30), às 17h, no Maracanã, terceira decisão brasileira na história do torneio. Ainda segundo o jornalista, no documento, nenhum convidado poderá estar no gramado durante a comemoração do time campeão e nem entregar a taça ao capitão. Isso incluí, claro, políticos.

 

Porém, antes disso, um grupo de palmeirenses divulgaram uma carta aberta contra a possibilidade de o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) usar a partida para o que chamaram de ‘ações populistas’. No entanto, vale lembrar que a Conmebol convidou Bolsonaro para acompanhar a decisão no Rio, e o presidente ainda não confirmou a presença ou não. Segundo o jornalista, “como será preciso apresentar um teste negativo de Covid-19 para entrar no estádio, e usar máscara o tempo todo lá dentro, algo que Bolsonaro tem rejeitado em fazer”.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*