CBF vai investigar “desvio” da verba repassada ao futebol feminino

"Nós repassamos esses recursos com prestações de contas", disse Feldman

Foto: Globoesporte

Em entrevista por vídeo-conferência ao programa “Troca de Passes” deste domingo, o Secretário-geral da CBF, Walter Feldman, também falou sobre o suposto caso de “desvio” da verba repassada pela CBF ao futebol feminino. Em reportagem publicada nesta semana o GloboEsporte.com revelou que, dos R$ 3,7 milhões distribuídos aos 52 times da Série A1 e A2 do Brasileirão Feminino, a maioria não transferiu o pagamento para as jogadoras. Feldman explicou que o dinheiro foi cedido para cobrir os salários das atletas, com exigência de prestação de contas, e anunciou que a denúncia já está sendo investiganda.

 

“Quando a CBF no início da pandemia repassou aquele recurso para a Série C, Série D, para o feminino, fez um ajuste em relação à arbitragem, isentou a taxa de registro… Ou seja, um pacote que o presidente Rogério Caboclo ofereceu exatamente para aqueles segmentos do futebol mais desprotegidos, que não têm contratos em direitos de transmissão, eventualmente têm um ou outro patrocinador e não têm nada hoje em relação à bilheteria. Era justamente para dar a sustentação aos atletas, para que eles (clubes) pudessem ter um mínimo de condições de, chegando o reinício do campeonato, os plantéis estivessem mantidos.”

“Nós repassamos esses recursos evidentemente com prestações de contas, mas não podemos ter uma ingerência administrativa no clube. Aqueles locais, particularmente em relação ao feminino, que estamos recebendo informações e denúncias de que não foram repassados para as atletas, nós estamos conferindo e solicitando para que isso seja feito. Futebol feminino para nós é prioridade absoluta para nós também.”

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*