Brasil é a 26ª liga que mais troca de técnico no mundo; veja ranking

São Paulo é o 14º no geral e o primeiro entre os brasileiros

Segundo relatório do CIES (Observatório de Futebol do Centro Internacional de Estudos de Esporte), o Brasileirão é o 26º campeonato com mais mudanças de treinador nos últimos cinco anos, entre as 84 primeiras divisões mais importantes do planeta. A Bolívia lidera a lista. O estudo considerou o intervalo entre 2015 e 2019 e foi baseado na média de técnicos que cada equipe teve no período. Foram considerados apenas os treinadores que comandaram seus times por, pelo menos, três jogos da primeira divisão. O Brasileirão aparece na 26ª posição com uma média de 5,3 técnicos por time no intervalo. Ao todo, 20 equipes brasileiras foram analisadas.

 

O São Paulo aparece logo na 14ª posição, com 12 técnicos no intervalo estudado. O time brasileiro mais bem posicionado é o Grêmio, com três comandantes diferentes, e que aparece na posição 649.

Além da Bolívia, o Paraguai é outro país sul-americano no Top-10: é o sexto. Os bolivianos tiveram, em média, 9,1 treinadores diferentes. O país que menos trocou de técnico foi a Suécia, com 2,6 comandantes distintos no período. A Argentina tem os melhores números entre os sul-americanos: 3,8 treinadores por equipe.

Apenas 30 dos quase 800 clubes listados tiveram o mesmo técnico entre 2015 e 2019. Nenhum deles atua nas cinco grandes ligas europeias (Inglaterra, Itália, Espanha, França e Alemanha). Somente um é sul-americano: o River Plate, comandado por Marcelo Gallardo desde junho de 2014.

Posição do Brasil e as cinco grandes ligas europeias:
26º Brasil: 5,3 técnicos por time
42º Espanha: 4,6 técnicos por time
58º Itália: 3,9 técnicos por time
60º Alemanha: 3,8 técnicos por time
66º França: 3,4 técnicos por time
69º Inglaterra: 3,2 técnicos por time

Posição dos brasileiros
14º São Paulo: 12
35º Flamengo: 11
101º Atlético-MG: 9
160º Fluminense: 8
161º Athletico-PR: 8
216º Palmeiras: 7
217º Santos: 7
219º Corinthians: 7
649º Grêmio: 3

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*